Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, domingo, 11 de março de 2018.

Jornal do Comércio

Política

COMENTAR | CORRIGIR

STF

Notícia da edição impressa de 12/03/2018. Alterada em 11/03 às 21h27min

Marco Aurélio prorroga prazo de inquérito que investiga Calheiros

O ministro Marco Aurélio Mello, do Supremo Tribunal Federal (STF), prorrogou por mais 60 dias o prazo para conclusão do inquérito que investiga os senadores Renan Calheiros (PMDB-AL) e Fernando Bezerra Coelho (PMDB-PE). Essa é a segunda vez que o ministro autoriza a prorrogação. Na primeira, em 24 de agosto de 2017, o prazo foi estendido por 30 dias.
Os dois são investigados por terem supostamente praticado crimes de corrupção e lavagem de dinheiro na construção da obra Canal do Sertão, trecho da Transposição do Rio São Francisco em Alagoas.
A prorrogação foi solicitada pela Polícia Federal. O delegado Antonio José Silva Carvalho, responsável pelo caso, afirmou que há diligências pendentes, e indicou como indispensáveis as oitivas de Inácio Loyola (deputado estadual e suposto beneficiário de doação do PMDB de Alagoas), Carlos Fadigas (ex-presidente da Braskem), Marcelo Cerqueira (vice-presidente da unidade de petroquímicos básicos da Braskem), Isaias Ubiraci e Fernando Migliaccio (ex-executivo da Odebrecht), com o intuito de "identificar os operadores" de Calheiros e Bezerra Coelho.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia