Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quinta-feira, 08 de março de 2018.

Jornal do Comércio

Política

COMENTAR | CORRIGIR

Justiça Eleitoral

Notícia da edição impressa de 09/03/2018. Alterada em 08/03 às 22h36min

TRE cassa prefeito de Bom Jesus e indica novas eleições

O Tribunal Regional Eleitoral (TRE) do Rio Grande do Sul acolheu posicionamento do Ministério Público Federal (MPF) e cassou o diploma do prefeito e do vice-prefeito do município de Bom Jesus (no Norte gaúcho), Frederico Arcari Becker e Sérgio Francisco Varela, respectivamente, ambos do PP. Determinou ainda que, após transcorrido o prazo para eventuais embargos de declaração, a prefeitura seja assumida temporariamente pelo presidente da Câmara Municipal de Vereadores, até que seja realizada nova eleição majoritária na cidade.
O TRE também declarou a inelegibilidade de Becker e da atual secretária de Desenvolvimento, Indústria e Comércio e Turismo, Sumaya Velho Turella, pelo período de oito anos contados a partir 2 de outubro de 2016, data da eleição.
Nas ações movidas pelo Ministério Público Eleitoral, Becker e Sumaya Turella, então secretária de Assistência Social de Bom Jesus, foram acusados de, em 2016, distribuir 67 cestas básicas sem a identificação do destinatário e sem a realização do estudo social exigido.
O MPF também acusou o prefeito de renovar a contratação de 26 servidores temporários em período próximo às eleições.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia