Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quarta-feira, 14 de março de 2018.

Jornal do Comércio

Internacional

COMENTAR | CORRIGIR

Retaliação

Notícia da edição impressa de 15/03/2018. Alterada em 14/03 às 22h37min

Reino Unido expulsa 23 diplomatas russos após envenenamento

A premiê do Reino Unido, Theresa May, anunciou ontem a expulsão de 23 diplomatas russos depois que Moscou não explicou, no prazo determinado, como um ex-informante russo do serviço de inteligência britânico foi envenenado no país com uma substância neurotóxica da era soviética. Em 4 de março, Sergei Skripal, de 66 anos, e sua filha Yulia, de 33, foram encontrados inconscientes em uma praça de Salisbury, no sudoeste da Inglaterra.
"Não há conclusão alternativa, a não ser que o Estado russo é culpado pela tentativa de homicídio de Skripal e de sua filha, e por ameaçar as vidas de outros cidadãos britânicos", disse May. "Isso representa uso ilegal da força contra o Reino Unido."
Além da expulsão, May anunciou outras medidas contra Moscou, incluindo a suspensão de todos os contatos bilaterais de alto nível. A premiê disse, ainda, que ministros britânicos e a família real não irão à Copa do Mundo, em junho.
O Ministério das Relações Exteriores da Rússia afirmou que a decisão de expulsar diplomatas é "bruta" e "hostil". Em comunicado, não anunciou medidas retaliatórias, mas disse que "nossa resposta não demorará muito a chegar".
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia