Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, segunda-feira, 26 de março de 2018.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

Turismo

Notícia da edição impressa de 27/03/2018. Alterada em 26/03 às 23h04min

Número de estrangeiros bate recorde no País

São Paulo é a principal porta de entrada de turistas; e o avião, o transporte mais utilizado

São Paulo é a principal porta de entrada de turistas; e o avião, o transporte mais utilizado


/ROVENA ROSA/AGÊNCIA BRASIL/JC
Após cruzamento de dados da Polícia Federal, o Ministério do Turismo anunciou, ontem, que o Brasil registrou, ao longo de 2017, o maior número de entradas de estrangeiros no País em toda a sua história. No total, 6.588.770 turistas desembarcaram em território nacional.
São 42 mil visitantes a mais do que no ano anterior, quando o País já havia batido recorde, por ocasião dos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro. O número também supera o alto volume de entradas registado em 2014 (6.429.852 turistas), ano em que o Brasil sediou a Copa do Mundo de futebol da Fifa.
Com quase 400 mil turistas a mais (alta de 11,1% em relação ao ano anterior), foram países vizinhos, da América do Sul, que incrementaram o aumento de turistas estrangeiros em 2017. Eles representaram 62,4% do número total de entradas de estrangeiros no Brasil, algo em torno de 4,1 milhões de pessoas.
Na lista de principais emissores de turistas internacionais, a Argentina continua em primeiro lugar, com 2.622.327 visitantes, 14,3% a mais que em 2016. O país vizinho responde por quase 40% de todos os turistas internacionais que o Brasil recebe.
Em segundo ficam os Estados Unidos, com 475,2 mil viajantes - queda de 7% em relação ao ano anterior. Apesar da queda, o governo federal já registrou aumento de 87% na emissão de vistos para turistas dos EUA no começo de 2018, com a entrada em vigor do sistema de visto eletrônico, que reduz de até 90 dias para três dias a autorização de viagem ao Brasil.
Na terceira posição entre os maiores visitantes estrangeiros aparece o Chile, com 342,1 mil entradas no ano passado, 5,2% a mais que 2016.
São Paulo é a principal porta de entrada de estrangeiros no País, por onde chegam 32,5% (2.144.606) de todos os turistas internacionais que visitam o Brasil. O Rio de Janeiro fica em segundo lugar, com 1.355.616, o equivalente a 20,5%. Em terceiro lugar aparece o Rio Grande do Sul, porta de entrada para milhares de argentinos, com 1,27 milhão de turistas.
De acordo com o Ministério do Turismo, apesar de ter registrado queda de 4,2%, o avião continua sendo o principal meio de transporte para o turista internacional. De todos os visitantes estrangeiros que chegaram ao Brasil em 2017, 63,5% (4,183 milhões) usaram a malha aérea. Pelas rodovias, entraram 2,25 milhões de visitantes (34,15%). Outros 52,5 mil (0,8%) usaram navios (via marítima), e 97,1 mil turistas (1,4%) entraram no País pela via fluvial.
Para o ministro do Turismo, Max Beltrão, o Brasil precisa adotar estratégias audaciosas para aumentar o número de turistas internacionais. "Temos defendido o reforço na promoção internacional, a modernização da Embratur e a abertura do País para o mercado global como forma de impulsionar o turismo internacional no nosso País", comentou, em nota à imprensa.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia