Porto Alegre, domingo, 15 de março de 2020.
Dia Mundial do Consumidor. Dia da Escola.

Jornal do Comércio

Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

CORRIGIR

Conjuntura

22/03/2018 - 12h35min. Alterada em 22/03 às 12h37min

PIB deve crescer 3% em 2018 e também em 2019, diz Ipea

Ipea projeta que a Formação Bruta de Capital Fixo, como bens de capital, deve crescer 4,5% em 2018

Ipea projeta que a Formação Bruta de Capital Fixo, como bens de capital, deve crescer 4,5% em 2018


OLI SCARFF/AFP/JC
O Produto Interno Bruto (PIB) brasileiro deve crescer 3% este ano, seguido de outro avanço também de 3% em 2019, segundo projeções divulgadas nesta quinta-feira (22), pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea). A Formação Bruta de Capital Fixo (FBCF) deve ter elevação de 4,5% em 2018. Em 2019, a expectativa é de crescimento de 6,0% em 2019. Ainda pela ótica da demanda, o Consumo das Famílias deve subir 3,4% em 2018 e aumentar 2,8% em 2019.
O Produto Interno Bruto (PIB) brasileiro deve crescer 3% este ano, seguido de outro avanço também de 3% em 2019, segundo projeções divulgadas nesta quinta-feira (22), pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea). A Formação Bruta de Capital Fixo (FBCF) deve ter elevação de 4,5% em 2018. Em 2019, a expectativa é de crescimento de 6,0% em 2019. Ainda pela ótica da demanda, o Consumo das Famílias deve subir 3,4% em 2018 e aumentar 2,8% em 2019.
Já o Consumo do Governo deve ficar estável, em 0,0%, este ano, mas avançar 0,5% em 2019. As exportações devem subir 6,2% em 2018 e ter expansão de 5,8% em 2019, enquanto as importações podem subir 7,5% agora e registrar elevação de 5,5% no ano seguinte.
Pelo lado da oferta, a previsão para o PIB da Indústria é de expansão de 3,6% em 2018, seguido por avanço de 3,1% em 2019. No PIB de Serviços, a estimativa é de crescimento de 2,9% este ano e avanço de 3,0% no ano que vem. Já o PIB da Agropecuária deve cair 2,2% em 2018, mas crescer 3,5% no ano que vem.
O Ipea estima que a inflação medida pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) encerre 2018 em 3,60%. A taxa acumulada em 2019 subiria a 4,25%. A estimativa para a taxa básica de juros - reduzida em 0,25 ponto porcentual na quarta-feira pelo Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central - é de 6,25% ao fim deste ano. A taxa Selic em 2019 aumentaria para 7,0%.
"O Banco Central tem conseguido ancorar as expectativas e isso acaba levando nossas projeções nessa direção. O Banco Central também mostra cautela de não jogar a taxa de juros muito para baixo para não ter que subir muito em seguida. No nosso entender é uma forma melhor de fazer. Fazer variações bruscas não seria bom", avaliou José Ronaldo de Castro Souza Junior, diretor de Estudos e Políticas Macroeconômicas do Ipea. A projeção do instituto para a taxa de câmbio ficou em R$ 3,40 ao fim de 2018 e de R$ 3,45 em 2019.