Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quarta-feira, 21 de março de 2018.

Jornal do Comércio

Economia

CORRIGIR

telecomunicações

Alterada em 21/03 às 20h10min

Facebook anuncia ferramenta para controlar acesso de aplicativos a dados

Zuckerberg admitiu que essa foi uma "falha de confiança"

Zuckerberg admitiu que essa foi uma "falha de confiança"


LLUIS GENE/AFP/JC
O diretor-executivo do Facebook, Mark Zuckerberg, afirmou hoje que, a partir de abril, a rede social vai disponibilizar uma ferramenta no topo de seu "feed" de notícias com uma lista de todos os aplicativos acessados pelos usuários e instruções para suspender "facilmente" o acesso a dados pessoais.
O anúncio vem a público quatro dias após a revelação de que a consultoria Cambridge Analytica, conhecida por trabalhar na campanha eleitoral de 2016 do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, utilizou dados coletados de forma irregular de usuários do Facebook para direcionar conteúdo e anúncios políticos.
Em uma publicação na própria rede social, Zuckerberg admitiu que essa foi uma "falha de confiança" entre o Facebook e "as pessoas que compartilham seus dados conosco e esperam que nós os protejamos", mas não fez qualquer pedido explícito de desculpas. "Nós temos a responsabilidade de proteger seus dados e, se não conseguirmos fazer isso, não merecemos servi-los", escreveu.
Zuckerberg disse ainda que a Cambridge Analytica alega "já ter apagado os dados" e aceitou se submeter a uma auditoria forense (passível de utilização como prova em juízo) de uma empresa contratada pelo Facebook para confirmar a exclusão.
Ele também anunciou que o Facebook vai conduzir uma "auditoria completa" de qualquer aplicativo com "atividade suspeita" e, se descobrir desenvolvedores que tenham feito mau uso de informação "pessoalmente identificável", avisará "todos os afetados por esses aplicativos", inclusive aqueles cujos dados foram utilizados pela Cambridge Analytica.
CORRIGIR
Seja o primeiro a comentar esta notícia