Porto Alegre, domingo, 15 de março de 2020.
Dia Mundial do Consumidor. Dia da Escola.

Jornal do Comércio

Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

CORRIGIR

Mercado Financeiro

15/03/2018 - 19h38min. Alterada em 15/03 às 19h38min

Bolsas de Nova Iorque fecham com viés de queda, pressionadas por ações da indústria

As bolsas de valores dos Estados Unidos fecharam sem direção definida nesta quinta-feira (15) mas com viés de queda, com os índices sendo pressionados novamente pelo mal desempenho das ações da indústria americana, ao passo em que os investidores avaliam os possíveis efeitos da política cada vez mais protecionista do governo do país.
As bolsas de valores dos Estados Unidos fecharam sem direção definida nesta quinta-feira (15) mas com viés de queda, com os índices sendo pressionados novamente pelo mal desempenho das ações da indústria americana, ao passo em que os investidores avaliam os possíveis efeitos da política cada vez mais protecionista do governo do país.
O índice Dow Jones fechou em alta de 0,47%, aos 24.873,66 pontos; o S&P 500 recuou 0,08%, para 2.747,33 pontos; e o Nasdaq caiu 0,20%, para 7.481,74 pontos.
A gigante do ramo aeroespacial Boeing ficou novamente entre as empresas que apresentaram os piores resultados e recuou 0,08%. Já as ações das companhias de Materials caíram 1,3% no S&P 500.
As companhias desses setores estão sendo pressionadas desde que o presidente Donald Trump anunciou planos de tarifar as importações de aço e alumínio, o que deve encarecer muito os insumos dessas empresas.
Entre as ações individuais, lojas de departamento recuaram na sequência de dados que mostraram a queda das vendas no varejo dos EUA em fevereiro. A Kohl's caiu 2,9%, enquanto a Nordstrom caía 1,7% e a Macy's recuava 0,7%.
A Ford viu seus papéis subirem 2,2% após analistas do Morgan Stanley melhorarem suas estimativas para as ações das empresas.