Porto Alegre, domingo, 15 de março de 2020.
Dia Mundial do Consumidor. Dia da Escola.

Jornal do Comércio

Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

CORRIGIR

Mercado Financeiro

15/03/2018 - 18h45min. Alterada em 15/03 às 18h44min

Petróleo avança com apoio de aumento da perspectiva de demanda global

Os preços do petróleo avançaram nesta quinta-feira (15) ao passo em que os investidores ponderam sinais de crescimento da demanda global e o aumento da produção nos Estados Unidos.
Os preços do petróleo avançaram nesta quinta-feira (15) ao passo em que os investidores ponderam sinais de crescimento da demanda global e o aumento da produção nos Estados Unidos.
Na Nymex, em Nova Iorque, o petróleo WTI para abril fechou em alta de US$ 0,23 (+0,38%), a US$ 61,19 por barril. Já na ICE, em Londres, o Brent para maio fechou em alta de US$ 0,23 (+0,35%), a US$ 65,12 por barril.
A demanda global de petróleo deve crescer em 1,5 milhão de barris por dia, para uma média de 99,3 milhões de barris por dia em 2048, de acordo com a Agência Internacional de Energia. Antes, o órgão estimava um crescimento de apenas 90 mil barris por dia.
A demanda robusta deve ajudar a compensar o aumento da produção de petróleo de xisto nos Estados Unidos, mantendo o mercado equilibrado neste ano, ainda de acordo com a agência.
Mas alguns observadores do mercado alertaram que o forte aumento da oferta dos EUA representa um risco ao reequilíbrio do mercado de petróleo. "O mercado de petróleo é mais frágil do que parece", disse Norbert Ruecker, do Julius Baer. "Riscos de realização de lucro ainda estão por vir e a forte produção desafia a narrativa de aperto do mercado", completa.
Nitesh Shah, estrategista de commodities da ETF Securities, disse estar cético em relação as previsões da AIE, e prevê que a demanda desse ano deve ficar próxima de 1,2 milhão de barris por dia.
A Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep) e outros dez produtores que não são membros do cartel têm segurado a produção em 1,8 milhão de barris por dia desde o começo do ano passado, num esforço de equilibrar o mercado, que está sendo desafiado pelos produtores americanos. (Com informações da Dow Jones Newswires)