Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quarta-feira, 14 de março de 2018.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

conjuntura internacional

Alterada em 14/03 às 21h06min

Casa Branca confirma Larry Kudlow como diretor do Conselho Econômico Nacional

A porta-voz da Casa Branca, Sarah Huckabee Sanders, confirmou nesta quarta-feira que o comentarista de TV e economista Larry Kudlow será o novo diretor do Conselho Econômico Nacional. Ele defende políticas de redução de impostos e livre-comércio. A data da posse não foi marcada.
"Nós vamos trabalhar para ter uma transição ordenada a vamos manter todos informados sobre o momento em que ele vai assumir oficialmente o cargo", escreveu Sarah Sanders, em comunicado enviado à imprensa.
Kudlow é amigo de longa data do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump. No começo da semana, o nome dele emergiu como o favorito para substituir Gary Cohn, que anunciou na semana passada que deixaria o cargo após divergências com a tarifação das importações de aço e alumínio.
Antes de trabalhar como comentarista na TV CNBC, Kudlow foi economista de empresas privadas em Wall Street.
Em dezembro de 2007, em um de seus comentários à TV, Kudlow negou que havia sinais de recessão nos Estados Unidos. Meses depois, as crises imobiliária e bancária levaram o mundo ao maior colapso econômico em oito décadas.
Nos anos 1990, foi demitido do banco de investimentos Bear Sterns por causa do excesso de uso de cocaína e álcool. Ele posteriormente se converteu ao catolicismo e deixou as drogas.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia