Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quinta-feira, 08 de março de 2018.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

balanços

Notícia da edição impressa de 09/03/2018. Alterada em 08/03 às 20h30min

Expansão dos lançamentos e vendas puxam resultados da MRV

Mercado confia que 35 mil imóveis serão contratados no próximo ano

Mercado confia que 35 mil imóveis serão contratados no próximo ano


/MRV CONSTRUTORA/DIVULGAÇÃO/JC
A MRV Engenharia, maior operadora do Minha Casa Minha Vida (MCMV), apresentou lucro líquido de R$ 180 milhões no quarto trimestre de 2017, o que corresponde a uma alta de 27,1% em comparação com o mesmo período de 2016, segundo balanço publicado nesta quinta-feira.
O avanço do lucro é um reflexo da expansão dos lançamentos e das vendas de imóveis concentrados no programa habitacional, com ganhos de escala e diluição de despesas.
O Ebitda (lucro antes dos juros, impostos, depreciação e amortização) atingiu R$ 269 milhões no trimestre, expansão de 68,2% na mesma base de comparação. A margem Ebitda subiu 4,6 pontos percentuais, para 19,6%. 
Já a receita líquida totalizou R$ 1,372 bilhão entre outubro e dezembro, uma alta de 28,7% ante igual etapa do ano anterior.
Em seu relatório operacional, divulgado há algumas semanas, a MRV confirmou a expansão dos negócios, diante da demanda aquecida por moradias populares e dos juros baixos para o financiamento no âmbito do MCMV. Os lançamentos somaram R$ 1,671 bilhão em Valor Geral de Vendas (VGV) no quarto trimestre, alta de 56%. As vendas líquidas atingiram R$ 1,451 bilhão, crescimento de 43,9%.
No acumulado de 2017, a MRV alcançou um lucro líquido de R$ 653 milhões, avanço de 17,7% frente a 2016. No ano, o Ebitda aumentou 40,0%, para R$ 892 milhões, enquanto a margem Ebitda avançou 3,7 pontos, para 18,7%. A receita líquida totalizou R$ 4,669 bilhões, crescimento de 12%.
 
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia