Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quinta-feira, 01 de março de 2018.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

mercado financeiro

Alterada em 01/03 às 22h24min

Bolsas de Nova Iorque caem após anúncio de tarifas sobre importações de metais

As bolsas de valores dos Estados Unidos fecharam novamente em queda, com o índice Dow Jones apagando os ganhos do ano, após o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, anunciar planos para impor tarifas sobre as importações de aço e alumínio.
O índice Dow Jones fechou em queda de 1,68%, aos 24.608,98 pontos; o S&P 500 perdeu 1,33%, para 2.677,67 pontos; e o Nasdaq caiu 1,27%, para 7.180,58 pontos.
A decisão de Trump de impor tarifas de 25% sobre a importação de aço e de 10% sobre a de alumínio aumentou ainda mais os temores dos investidores com o aumento da inflação nos EUA. Investidores ainda estão preocupados de que isso possa desencadear uma guerra comercial com países como a China, que podem retaliar os americanos.
Todos os 11 principais setores do S&P 500 recuaram nesta quinta-feira, 1, pressionados principalmente pelas ações da indústria e das companhias de tecnologia. Empresas que usam aço e alumínio para produzirem seus bens, como montadoras, estão entre as que foram mais duramente atingidas. As ações da Ford caíram 3%, e as da General Motors despencaram 4%.
Os papéis de várias companhias de aço e alumínio dos EUA, enquanto isso, subiram com a notícia das tarifas. As ações da U S. Steel subiram 5,7% e as da Century Aluminum ganharam 7,5%.
As bolsas já estavam pressionadas no começo do dia após o presidente do Federal Reserve (Fed, o banco central americano), Jerome Powell, afastar preocupações de que a inflação está acelerando tão rápido que o BC poderia ter de se desviar da sua política de elevação gradual dos juros.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia