Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quinta-feira, 01 de março de 2018.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

MEIO AMBIENTE

Notícia da edição impressa de 02/03/2018. Alterada em 01/03 às 22h34min

BRDE e AFD assinam contrato de ¤ 50 milhões

Michel Miraillet, embaixador francês, diz que destino do recurso é de interesse mútuo

Michel Miraillet, embaixador francês, diz que destino do recurso é de interesse mútuo


/MARCO QUINTANA/JC
Carolina Hickmann
Um contrato de crédito no valor de € 50 milhões para financiar projetos de impacto positivo sobre o meio ambiente e o clima foi firmado entre o BRDE e a Agência Francesa de Desenvolvimento (AFD), nesta quinta-feira, no Palácio Piratini. Através da medida, os dois bancos de desenvolvimento empenham-se para mobilizar financiamentos com o intuito de combate às mudanças climáticas, especialmente aos ligados ao programa BRDE PCS (Produção e Consumo Sustentáveis).
Na ocasião, o embaixador francês, Michel Miraillet, lembrou que o destino dessa verba é de interesse mútuo dos dois países, segundo acordo firmado na Conferência das Nações Unidas sobre as Mudanças Climáticas (COP-21), em 2015. Os dois bancos de fomento identificarão projetos de grande potencial de impacto e as condições de financiamento adaptadas ao contexto do País.
O diretor de planejamento do BRDE, Luiz Correa Noronha, conta que as tratativas entre as instituições duraram pouco mais de um ano. "Este contrato faz parte de uma definição do BRDE de ampliar as suas alternativas de recursos. Iniciamos pela AFD por ela não exigir o aval da União", disse. Na avaliação de Noronha, este foi um prazo curto, já que, em termos de projeto internacional estruturado, este foi o primeiro firmado pelo banco do Sul do País.
O montante que virá ao Estado, ressalta Noronha, ainda não é preciso. "O BRDE sempre trabalhará dividindo valores pelos três estados do Sul, em um primeiro momento; mas, se houver mais mercado aqui do que nos outros estados, virá mais para cá", explica, ao assegurar que nenhuma verba deixará de ser empenhada. Estão habilitados a contratar créditos, diz, empresas e municípios gaúchos com intenções que se alinhem ao programa BRDE PCS.
A cooperação entre os bancos poderá ser apoiada por um montante adicional de até € 800 mil, proveniente do Fundo de Expertise e Intercâmbio de Experiências (Fexte) da AFD. O governador José Ivo Sartori comemorou a verba. "Precisamos de ajuda e não temos vergonha de pedir", disse na abertura de sua fala. No entendimento do governador, o sustentável deixou de ser tendência para alçar o cargo de obrigação dos governos.
Após essa agenda, o governador se reuniu com o presidente e empresários do Conselho do Comércio França-Brasil. Representantes de marcas como AirFrance e Leroy Merlin estão na Capital para reunião oficial do conselho. Esta é a primeira vez que o encontro acontece fora do eixo Rio de Janeiro-São Paulo.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia