Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, domingo, 01 de abril de 2018.

Jornal do Comércio

Cultura

COMENTAR | CORRIGIR

CINEMA

Notícia da edição impressa de 02/04/2018. Alterada em 29/03 às 16h27min

Santander Cultural recebe mostra de cinema francês

Documentário Swaggers integra mostra com produções dos últimos anos exibida em Porto Alegre

Documentário Swaggers integra mostra com produções dos últimos anos exibida em Porto Alegre


SANTANDER CULTURAL/DIVULGAÇÃO/JC
Em janeiro e fevereiro, ocorreu o MyFrenchFilmFestival, com curtas e longas-metragens produzidos na França disponíveis on-line com legendas para 10 idiomas, incluindo português. Para junho, está prevista a próxima edição do já tradicional Festival Varilux de Cinema Francês. Mas, em abril, os fãs da produção audiovisual realizada no país dos irmãos Lumière terão mais programação. A partir de quinta-feira (5), o Cine Santander Cultural (Sete de Setembro, 1.028), em Porto Alegre, tem como atração a mostra Cinema Francês Contemporâneo. A atividade tem parceria da Aliança Francesa.
Atração até os primeiros dias de maio, a seleção contempla nove títulos, todos eles produzidos nos últimos três anos por novos realizadores ou por veteranos. O recorte é composto por representantes do cinema de animação, drama, comédia e documentário, incluindo trabalhos que foram indicados a prêmios como o César, considerado o Oscar do país.
Últimas novidades do cosmos, por exemplo, concorreu na categoria de melhor documentário na cerimônia de 2017. O filme tem direção de Julie Bertuccelli e acompanha Hélène, que não fala nem é capaz de segurar uma caneta. Diagnosticada com autismo, a personagem não aprendeu a ler ou a escrever até os 20 anos, quando sua mãe descobriu que a filha era capaz de se comunicar usando letras plastificadas sob uma folha de papel. Sob o pseudônimo de Babouillec, a protagonista, hoje, é autora de textos adaptados ao teatro.
A seleção contempla, também, outros dois trabalhos de caráter documental. Swagger disputou o mesmo prêmio e busca transportar os espectadores para dentro das mentes de 11 adolescentes que crescem em um dos bairros mais desfavorecidos da França. A direção é de Olivier Babinet. Já em A horta do meu avô, o cineasta Martin Esposito, expoente da geração fast food, aprende com seu parente a importância do patrimônio natural.
Entre as produções de ficção, há destaque para O filho, de Philippe Lioret. O título rendeu aos atores Pierre Deladonchamps e Gabriel Arcand indicações aos prêmios César de, respectivamente, melhor ator e ator coadjuvante. O drama coloca em foco um homem que nunca conheceu seu pai. Um dia, ele recebe uma ligação pela qual fica sabendo que seu progenitor faleceu. Decide, então, ir ao funeral - mas os presentes não sabem de sua existência.
A única animação da seleção é Louise no inverno, do veterano Jean-François Laguionie. O realizador começou a carreira com curtas-metragens na década de 1960 e, neste trabalho, apresenta a história de uma senhora que perde o último trem em uma estação balneária. Obrigada a permanecer na cidade deserta, ela tem de lidar tanto com a solidão quanto com situações climáticas e estruturais adversas.
Completam a lista de ficções A lei da selva, que destaca um estagiário francês enviado à Guiana para um lançamento na Amazônia; Boa sorte, Argélia, sobre dois amigos que resolvem qualificar-se para Jogos Olímpicos a fim de salvar um empreendimento; Os desastres de Sofia, baseado em livro infantil com foco em uma pequena aristocrata; e Paris à branca, a respeito de uma senhora disposta a reencontrar seu marido.
Para fechar o mês, o Cine Santander Cultural exibirá O Pequeno Príncipe (1974), comédia musical baseada no clássico de Antoine de Saint-Exupéry. O filme foi rodado em inglês, com produção dos Estados Unidos e Inglaterra. As sessões integram o projeto Domingo Cultural.

Primeiros dias da mostra

5 de abril

15h:  Últimas novidades do cosmos
17h:  A lei da selva
19h: O filho

6 de abril

15h: Boa sorte, Argélia
17h: Os desastres de Sofia
19h: Louise no inverno

7 de abril

15h: O filho
17h: Últimas novidades do cosmos
19h: A lei da selva

8 de abril

15h: A horta do meu avô
17h: Boa sorte Argélia
19h: Paris à branca
 
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia