Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quarta-feira, 28 de março de 2018.

Jornal do Comércio

Cultura

COMENTAR | CORRIGIR

artes cênicas

Notícia da edição impressa de 29/03/2018. Alterada em 28/03 às 17h34min

Teatro Sarcáustico abre temporada com apresentação no Renascença

Espetáculo Nós por nós tem apresentações de ocorrem de sexta-feira a domingo, às 20h30min

Espetáculo Nós por nós tem apresentações de ocorrem de sexta-feira a domingo, às 20h30min


QEX BITTENCOURT/DIVULGAÇÃO/JC
Completando 14 anos em 2018, o Teatro Sarcáustico reestreia neste fim de semana, em grande temporada, seu mais recente projeto cênico, Nós por nós, com direção de Daniel Colin e Ricardo Zigomático. O espetáculo foi construído com o mote "O que te afeta e te faz resistir?", uma obra autoral que se debruça sobre a compreensão dos afetos como possíveis formas de reação, revolução e resistência. 
As sessões ocorrem de sexta-feira a domingo, às 20h30min, no Teatro Renascença (Érico Veríssimo, 307), até 22 de abril. Ingressos antecipados por R$ 30,00 (inteira) na internet. Na hora, o valor passa a R$ 40,00 - abertura da bilheteria uma hora antes das apresentações. Há descontos para idosos, classe artística, estudantes, municipários e doadores de sangue com comprovação.
A dramaturgia cênica original de Nós por nós é elaborada a partir de processos autobiográficos dos performers e de como estes processos se afetam entre si, mas também a partir de referenciais diversos, como músicas, textos, matérias jornalísticas, filmes e obras de arte que tratam deste mesmo universo: atos políticos não-violentos. No elenco, Daniel Colin, Guadalupe Casal, Ricardo Zigomático e Ursula Collischonn interpretam cenas que foram criadas a partir de referências encontradas em notícias como o caso da senhora de 70 aos que cobre mensagens nazistas em Berlim, mobilizações de pessoas após desastres, beijaço em protesto à agressão a gays, músicas machistas, entre outras. A performance sonora, assinada por Vitório O. Azevedo, é executada ao vivo, enquanto capta os sons dos atores durante as cenas.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia