Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quarta-feira, 28 de março de 2018.

Jornal do Comércio

Cultura

COMENTAR | CORRIGIR

Dança

Notícia da edição impressa de 29/03/2018. Alterada em 28/03 às 17h24min

Conto de fadas no gelo: Ballet Estatal de São Petersburgo é atração em Porto Alegre

Pela primeira vez no Brasil, companhia apresenta o espetáculo A Bela Adormecida no sábado e domingo

Pela primeira vez no Brasil, companhia apresenta o espetáculo A Bela Adormecida no sábado e domingo


BALLET ESTATAL DE SÃO PETERSBURGO NO GELO/DIVULGAÇÃO/JC
Luiza Fritzen
Diretamente da Rússia, o Ballet Estatal de São Petersburgo no Gelo se apresenta no Brasil pela primeira vez neste fim de semana com o espetáculo A Bela Adormecida. A turnê pelo País começa em Porto Alegre, com sessões no sábado, às 16h e às 21h, e no domingo, às 15h e às 20h, no Teatro do Bourbon Country (Túlio de Rose, 80). Os ingressos variam entre R$ 75,00 e R$ 400,00.
Para recriar a pista de gelo na qual os dançarinos se apresentam foram necessárias cinco toneladas de gelo aplicadas em uma trilha pré-fabricada da Alemanha, que deram origem a uma superfície lisa e compacta de 148 metros quadrados. Após instalada, a pista é permanentemente mantida conectada a um sistema de resfriamento complexo, que mantém a temperatura de -21°C, e a uma usina de alta tensão para fornecer as condições técnicas necessárias para o desempenho dos bailarinos.
Segundo Alexander Gustavo Gonzalez Rodriguez, gerente da companhia na América Latina, o processo de fazer gelo é tão singular e especial que se poderia vender ingressos para o público conferir de perto como o procedimento ocorre. "Transformar o palco em uma pista de gelo é mágico. Alcançar isso requer o trabalho de muitas pessoas, tecnologia de ponta, muita sincronização e um toque muito grande de amor pelo que fazemos." Considerando-se as diferenças entre um palco de teatro e a superfície gelada, é necessário ter cuidado com o cenário e adaptá-lo às diferentes medidas conservando a estrutura anterior.
Rodriguez conta também sobre o desafio de trazer o espetáculo para a América Latina, tendo em vista a agenda cheia na Europa e na Ásia. Segundo ele, foi preciso "muito trabalho, muito tempo negociando com a empresa na Rússia e depois no Brasil, além de uma logística muito grande".
Porta-voz da companhia, Oksana Kordiyaka afirma que a Rússia sempre buscou levar sua arte a diversos continentes e que é uma honra trazer ao Brasil um dos espetáculos que une a excelência russa em patinação e balé. A expectativa do grupo é de "encantar ao público, roubar muitos aplausos e ver a plateia feliz ao desfrutar de um show que é único no mundo".
Uma das mais tradicionais companhias da Rússia, o Ballet Estatal de São Petersburgo no Gelo é conhecido por sua grande expressividade, pureza e estilo particular. Foi fundado em 1967 pelo conhecido coreógrafo Konstantin Boyarsky. Entre os bailes clássicos russos encenados pela companhia estão Giselle, O lago dos cisnes e Don Quixote. Por dominarem a pista gélida, os bailarinos do grupo, bem como especialmente os de São Petersburgo, são reconhecidos mundialmente como os "mestres do gelo".
Clássico de Pyotr Ilyich Tchaikovsky, A Bela Adormecida é considerado um dos balés mais reconhecidos pelo público. Preservando a coreografia original de Marius Petipa, o espetáculo é dançado por importantes solistas dos principais teatros do mundo. Fiel à versão original de 1890, 30 bailarinos substituem sapatilhas por patins em mais de duas horas de apresentação e dão vida a história através de saltos e giros no ar. Sem usar a voz ou o gesto, o grupo utiliza o corpo e a expressão corporal como meio de comunicação para transmitir as experiências e os estados mentais dos personagens que eles interpretam.
Com seu cenário mágico e figurinos de época, a obra transporta o público para os grandes salões russos. Dividido em três atos, o romance conta a história da Princesa Aurora, que dorme seu sono profundo, e o conflito entre as forças do bem e dom mal. Para Oksana, o espetáculo transmite a mensagem de que nossos sonhos podem se tornar realidade.  
Após se apresentar na Capital Gaúcha, A Bela Adormecida encerra sua turnê brasileira com passagens por São Paulo, de 5 a 8 de abril, e pelo Rio de Janeiro, de 12 a 15 de abril.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia