Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quinta-feira, 01 de março de 2018.

Jornal do Comércio

Colunas

COMENTAR | CORRIGIR
Edgar Lisboa

Repórter Brasília

Notícia da edição impressa de 02/03/2018. Alterada em 01/03 às 20h40min

Bancada da bala

Alberto Fraga

Alberto Fraga


ALEX FERREIRA/CÂMARA DOS DEPUTADOS/JC
Uma brecha no Estatuto do desarmamento movimenta a Bancada da Bala no Congresso Nacional para revogar um trecho da legislação, e assim facilitar a posse e o porte de armas de fogo para pessoas físicas no país. Presidente da Frente Parlamentar da Segurança Pública, deputado Alberto Fraga (DEM-DF) anuncia um acordo feito com o presidente Rodrigo Maia (DEM-RJ) para levar o tema ao plenário da casa nas próximas semanas. Segundo Fraga, líder da bancada da bala, será sugerida uma proposta mais amena que o substitutivo que foi aprovado pela Comissão Especial em 2015. O parlamentar afirma que manterá os critérios legais para a posse de arma de fogo, mas quer tirar a discricionariedade da Polícia Federal de decidir quem tem direito ou não de portar arma de fogo.
Estatuto do Desarmamento
O deputado federal gaúcho Alceu Moreira (PMDB) afirma que o projeto de revogação do Estatuto do Desarmamento tem que ser colocado em pauta imediatamente. Ele argumenta que a decisão já está muito atrasada. "Minha posição", assinala o parlamentar, "é muito clara em relação a isso. O que temos que fazer é trabalhar numa relação que seja extremamente rígida no uso da arma", acentuou. Segundo Moreira, não permitir que a pessoa tenha posse, porte e transporte de arma é um absurdo completo. O parlamentar defende que o mau uso da arma deve ser extremamente punido. "O absurdo maior é o bandido saber que o cidadão não tem arma e, por isso, pode ir lá aterrorizar".
Jairo Jorge
O pré-candidato ao governo do Rio Grande do Sul, Jairo Jorge (PDT), cruza o Rio Grande de ponta a ponta anunciando que "o Rio Grande tem solução", com isso buscando pavimentar o caminho rumo ao o Palácio Piratini. O candidato já visitou 368 municípios gaúchos. Participou de 600 atividades, entre visitas, atos políticos e seminários. Jairo Jorge já conta com 250 árvores plantadas e já se reuniu com 15.910 pessoas.
Entrevista contraditória
A senadora gaúcha Ana Amélia (PP) considerou contraditória a entrevista concedida pelo ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) ao jornal Folha de S. Paulo, no último dia 27. Na entrevista, observou a senadora, Lula se diz vítima de uma injustiça no caso do triplex, pelo qual foi condenado pelo juiz Sérgio Moro e pelos desembargadores do Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4). Lula também disse ainda acreditar na democracia, mas também esperar punição a esses servidores, com demissão "a bem do serviço público" por condená-lo com base em "mentiras". Para a senadora, é contraditório Lula dizer que acredita na democracia, mas não aceitar um resultado desfavorável a ele.
 
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia