Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quinta-feira, 22 de março de 2018.

Jornal do Comércio

Notícia da edição impressa de 22/03/2018.
Alterada em 22/03 às 14h28min
COMENTAR | CORRIGIR

A exploração dos nossos dados

Uso de informações sigilosas de usuários na campanha de Donald Trump deflagrou pior crise da rede social

Uso de informações sigilosas de usuários na campanha de Donald Trump deflagrou pior crise da rede social


Daniel LEAL-OLIVAS/AFP/JC

No fundo, todos nós sabemos que os nossos dados não estão seguros, e que cada informação que colocamos em um aplicativo, rede social ou site logo estará transitando por aí, nas mãos de empresas que tentarão tirar o máximo proveito dela.
As suspeitas que autoridades dos Estados Unidos e da Inglaterra colocam agora sobre o Facebook, porém, materializam esse receio, e de forma contundente. A rede social está sendo questionada sobre o vazamento de dados de 50 milhões de usuários dos EUA e que teriam sido usados pela consultoria Cambridge Analytica para a manipulação da eleição de Donald Trump.
É mais um baque para a estratégia da gigante criada por Mark Zuckerberg, que parece entrar em uma crise sem precedentes ligada à perda de confiança dos seus usuários, algo tão importante em um negócio como esse. Já existe até uma campanha na internet com a #deletefacebook. Nos últimos tempos, muitos adeptos do Facebook têm demonstrado um maior desinteresse pela rede e migração para os concorrentes, muito disso explicado, justamente, por essa sensação de que estão expostos demais ali.
Independentemente do desfecho disso tudo, fica um alerta para os brasileiros se preservarem mais, já que os usuários do País aparecem em praticamente todas as pesquisas sobre privacidade como sendo os mais propensos a compartilhar suas informações pessoais nas redes sociais.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia

Patricia Knebel

Ecossistemas de inovação, tendências globais para os negócios, marketing digital, as tecnologias que são os pilares da transformação digital (como mobilidade, Internet das Coisas e Big Data) e todas as novidades que impactam o comportamento dos consumidores e o futuro das empresas e das cidades estão na coluna Mercado Digital. Estou feliz por você estar aqui.