Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quinta-feira, 29 de março de 2018.

Jornal do Comércio

Colunas

COMENTAR | CORRIGIR
Dom Jaime Spengler

A voz do Pastor

Notícia da edição impressa de 29/03/2018. Alterada em 28/03 às 22h27min

Páscoa

A solenidade da Páscoa celebra os prodígios de Deus no curso de uma história multimilenária. Um foi a libertação do povo de Israel do domínio egípcio, sob a liderança de Moisés. Outro foi a ressurreição de Jesus. Deus continua agindo na história! Sempre que a comunidade se reúne para celebrar aqueles eventos, ela participa da iniciativa divina, sendo convidada a testemunhar sua fé e sua esperança no Amor, capaz de superar todas as adversidades. A ressurreição de Jesus continua ressoando na Igreja, que conserva o testemunho da fé vibrante de Maria, a Mãe de Jesus, a fé de Madalena e das primeiras mulheres que viram o sepulcro vazio, a fé de Pedro e dos outros Apóstolos.
A fé da Igreja está fundamentada no testemunho e no anúncio daquelas pessoas que viram a pedra removida do túmulo vazio, e no encontro com alguns mensageiros que atestaram que Jesus, crucificado, ressuscitou. Além disso, há de ser presente, antes mesmo dos fatos da ressurreição, o testemunho do centurião romano que diante da execução de Jesus exclama: "De fato, este homem era filho de Deus" (Mc 15,39).
A ressurreição de Jesus não é fruto da fantasia de alguém ou da especulação de outros; ela é expressão de um acontecimento num determinado momento da história, e que a ultrapassa. Não se pode esquecer a maquinação realizada pelo poder religioso, juntamente com o poder político, para corromper os guardas romanos que haviam colado um sigilo sobre a pedra que lacrava o túmulo, e que fez daqueles homens vítimas e difusores de uma mentira. Entretanto, o testemunho de Maria Madalena e da outra Maria (Mt 28,1) desmascarou-os.
Os fenômenos que acompanham o evento da ressurreição - terremoto, relâmpagos, luz (Mt 28,1-5) - abalaram as certezas e as seguranças das próprias testemunhas. Num primeiro instante, pensavam que fosse um fantasma, um espírito (Lc 24,37), o jardineiro (Jo 20,15), ou anjos (Lc 24,23). Os próprios discípulos tiveram dificuldades em acreditar que Jesus ressuscitara (Mc 16,11; Mt 28,17).
Os desdobramentos dos fatos atestados por testemunhas qualificadas permitem à Igreja proclamar que Cristo ressuscitou verdadeiramente dos mortos. Estamos diante do núcleo fundamental da profissão de fé cristã; é o grito de vitória que une a comunidade de fé.
Não é a fé o princípio da ressurreição, mas a ressurreição do Cristo que se constitui no princípio da fé. A alegria do Ressuscitado, e, consequentemente, da Páscoa, é a força dos cristãos. É ela que permite a todos lançarem-se no seguimento, vivendo e morrendo com Ele. A ressurreição de Jesus não é deduzível de algumas premissas ou algo produzível pela pretensão humana. É essencialmente participação do corpo na glória do Filho amado do Pai, primícias de todos os que estarão para sempre com Ele. O acesso à fé no Ressuscitado pressupõe o conhecimento das Escrituras e sua força (At, 12,24). O testemunho dos discípulos goza de autoridade. Contudo, vale recordar que eles reconheceram-no somente à luz da Palavra e do Pão repartido.
A Páscoa não é expressão de algo mágico. Quando o povo da antiga aliança deixou o Egito em busca da terra da liberdade, encontrou o deserto. Assim, também a Igreja, situada na história, após a ressurreição do Senhor, se encontra com as alegrias e as esperanças, as angustias e as tristezas da humanidade. A nova aliança inaugurada com o sangue de Jesus Cristo traz a marca da esperança. Por isso, não há lugar para resignação, derrota, tristeza, morte, trevas. Cristo ressuscitou! Ele é luz, caminho, verdade e vida.
 
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Dorian R. Bueno 29/03/2018 16h36min
FELIZ PÁSCOA E MENOS GULA!!! nnMeu grandioso e maravilhoso Deus, em nome de Jesus Cristo, de coração eu Tchê agradeço por todos os seus ensinamentos diários, por sua misericórdia, pela a minha linda Família, minha saúde, meu trabalho, por me inspirar com suas palavras para compor louvores e escrever crônicas para os Amigos aqui da terra, pelos meus olhos para ver o caminho certo, pela a inteligência da minha mente para decifrar corretamente o que leio por ai, pelos os meus ouvidos para aprender escutar bem mais a palavra correta, pelo o entendimento do que é certo e errado, que eu tenha sempre mais humildade, que eu possa viver com dignidade, e através desta minha Oração também desejo que o Senhor Abençoe todos os meus Irmãos que estão sendo humilhados pelos os GOVERNANTES DA SAÚDE DO BRASIL, P. ALEGRE, RIO GRANDE DO SUL, nos corredores dos HOSPITAIS em busca de atendimento, e em nome de Jesus Cristo, quero clamar ao Senhor para que com a sua maravilhosa benevolência, aja urgentemente nesta causa das enfermidades que infestam estas queridas pessoas que estão atiradas nos corredores das emergências dos hospitais, cadeiras, maca, chão, em busca de atendimento, que estas doenças sejam eliminadas pelo o Senhor Meu Deus que é o Médico dos Médicos, e dentro do possível com muita paciência, quero junto com o meu Amor, prosperar na Paz do Senhor, Amém!!! Feliz Páscoa!!! Abs. Dorian Bueno, POA, 29.03.2018 nn