Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, domingo, 04 de fevereiro de 2018.

Jornal do Comércio

Política

COMENTAR | CORRIGIR

Assembleia Legislativa

04/02/2018 - 18h26min. Alterada em 04/02 às 19h47min

'Não brinquem comigo', avisa o novo presidente da Assembleia gaúcha

JC VÍDEOS: Santos questiona acordo com a União sobre estatais
"Não me inventem de quebrar um vidro da Assembleia, porque o indivíduo que quebrar vai pagar! Vai ficar preso dentro da Assembleia, não brinquem comigo!", avisa o recém-empossado presidente do Legislativo gaúcho, Marlon Santos (PDT). "O indivíduo que quebrar vai pagar antes de sair daqui. Nem que a mulher dele ou marido dela tenham de vir aqui pagar para a pessoa sair", reforça o pedetista, batendo com o dedo indicador na mesa, durante a gravação para o JC Vídeos na semana passada.  
A declaração foi dada em entrevista à repórter de Política Bruna Suptitz. Os leitores poderão conferir a íntegra do que o deputado disse na edição desta segunda do Jornal do Comércio, que trará a entrevista completa. SantosM não só mostrou que será linha dura com manifestantes, como está disposto a colocar em xeque as propostas do governo de José Ivo Sartori (PMDB) que envolvem a adesão do Estado ao Regime de Recuperação Fiscal (RRF) e autorização para privatizar três estatais, sem ter de passar por plebiscito. 
Um dos aspectos que o deputado questiona é a 'obrigatoriedade' de vender estatais para firmar o acordo com a União. "Lá, no Rio de Janeiro, o governo do estado 'deve estudar a privatizada de empresas'. É bem diferente de fazer, né. Por que lá, que é do mesmo partido daqui - os dois estão alinhados, né, um risco não é francisco", provoca o presidente da AL gaúcha. Na entrevista completa que a edição impressa e as plataformas digitais do JC publicam nesta segunda, o pedetista aprofunda as opiniões sobre projetos do governo na casa e outros temas que envolvem o momento tenso das relações entre Assembleia e o Palácio Piratini. 
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia