Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quarta-feira, 28 de fevereiro de 2018.

Jornal do Comércio

Internacional

COMENTAR | CORRIGIR

Estados Unidos

Notícia da edição impressa de 01/03/2018. Alterada em 28/02 às 22h52min

Escola da Flórida retoma aulas duas semanas após massacre

Alunos e professores traumatizados por um dos piores ataques com armas de fogo dos Estados Unidos voltaram às aulas ontem, usando laços e rosas brancas em homenagem aos 17 mortos a tiros pelo ex-aluno Nikolas Cruz, na escola Marjory Stoneman Douglas High, em Parkland, na Flórida, há duas semanas.
A escola reabriu suas portas para cerca de 3 mil alunos em apenas um turno. O prédio onde a maioria das vítimas morreu vai permanecer fechado por tempo indeterminado.
Ônibus escolares chegaram logo após as 7h, com vários policiais a postos para escoltar os alunos. Nicholas Rodrigues, de 15 anos, disse que foi caminhando, em vez de ir de bicicleta, porque "queria pensar nas coisas".
Legisladores estaduais estão estudando uma lei prevendo a demolição do Edifício 12 e sua substituição por um memorial às vítimas do massacre de 14 de fevereiro.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia