Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, terça-feira, 20 de fevereiro de 2018.

Jornal do Comércio

Internacional

COMENTAR | CORRIGIR

Venezuela

Notícia da edição impressa de 20/02/2018. Alterada em 20/02 às 02h35min

Maduro afirma que Peru não pode barrá-lo em Cúpula das Américas

O governo venezuelano informou, no domingo, que Nicolás Maduro participará da Cúpula das Américas nos dias 13 e 14 de abril. A informação foi veiculada após Cayetana Aljovín, ministra de Relações Exteriores do Peru, sede do evento, pedir ao presidente venezuelano que desistisse de ir à cúpula por insistir em fazer eleições presidenciais sem garantia para a oposição.
O chanceler venezuelano Jorge Arreaza enviou carta à peruana. "Não está atribuída, de forma alguma, à República do Peru, nem a nenhum outro Estado, a faculdade de decidir sobre a participação de nenhum Estado-membro e fundador das reuniões da Cúpula das Américas. Confirmamos que Nicolás Maduro Moros assistirá pontualmente (...) à cidade de Lima", diz o texto.
Para ele, ao Peru só corresponde "estender a cortesia do convite aos dignatários". A chanceler peruana retrucou e reiterou que o Peru pode barrar a entrada de Maduro. Para Caracas, o Peru atua com evidentes motivações políticas. Em discurso, Maduro disse que, "chova, troveje ou relampeje, por ar, terra ou mar", chegará à cúpula com "a verdade da Venezuela".
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia