Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, domingo, 18 de fevereiro de 2018.

Jornal do Comércio

Internacional

COMENTAR | CORRIGIR

Tragédia

Notícia da edição impressa de 19/02/2018. Alterada em 18/02 às 20h04min

Avião com 65 a bordo cai no Irã

Familiares das vítimas ficaram em choque com a notícia

Familiares das vítimas ficaram em choque com a notícia


/ATTA KENARE/AFP/JC
Um avião da companhia Aseman Airlines, com 65 passageiros a bordo, caiu ontem no Irã. A aeronave perdeu o contato cerca de 50 minutos depois de decolar, às 8h locais (1h30min, em Brasília), de Teerã.
Segundo informações da imprensa local, a aeronave voava no trecho entre Teerã e a cidade de Yasuj, no Sudoeste do país, caiu no Monte Dena, nas montanhas da cordilheira de Zagros, a cerca de 480 km de Teerã. O avião levava 59 passageiros, dois seguranças, dois comissários de bordo, piloto e copiloto. Inicialmente, a companhia aérea falava em 66 pessoas, mas um dos passageiros teria perdido o voo.
Ontem, helicópteros de resgate não conseguiram chegar ao local da queda devido ao mau tempo na região e equipes se dirigiam ao local por terra. Em choque com a notícia, familiares das vítimas se reuniram do lado de fora do aeroporto de Tehran-Imam Khomeini.
O aiatolá Ali Khamenei, o líder supremo do Irã, e o presidente Hassan Rouhani enviaram mensagens de condolências. O Ministério do Transporte do país já iniciou as investigações para descobrir a causa da tragédia.
Poucas horas após a confirmação da queda, a companhia aérea chegou a confirmar que os 65 ocupantes do voo EP 3704 haviam morrido, mas em seguida retirou a informação, declarando que devido às circunstâncias especiais da região e a falta de acesso ao local do acidente, não poderiam confirmar de forma precisa e definitiva a morte de todos os ocupantes.
 
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia