Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, terça-feira, 20 de fevereiro de 2018.

Jornal do Comércio

Geral

COMENTAR | CORRIGIR

Infraestrutura

20/02/2018 - 11h38min. Alterada em 20/02 às 12h02min

Prefeitura de Porto Alegre assina contrato para retomada de obras da Copa

Previsão do prefeito é de que as obras sejam retomadas em cerca de 30 dias

Previsão do prefeito é de que as obras sejam retomadas em cerca de 30 dias


MARCELO G. RIBEIRO/JC
Em cerca de 30 dias, seis obras da Copa do Mundo de 2014 ainda inacabadas em Porto Alegre devem ser reiniciadas. A previsão é do prefeito da Capital Nelson Marchezan Júnior, que assinou nesta terça-feira (20) um contrato com o Banrisul para o financiamento de R$ 120 milhões, que vai viabilizar a retomada das construções.
Inicialmente, serão retomadas as seguintes obras: a duplicação da avenida Tronco, a trincheira da Anita (90% concluída), a trincheira da Ceará (85% concluída), o corredor de ônibus Protásio Alves (98% concluída) e a duplicação da avenida Severo Dullius (49% concluída). Na avenida Tronco, a obra é dividida em quatro partes. Os dois primeiros trechos, que compreendem a rótula da Gastão Mazzeron até a avenida Terceira Perimetral e até a rótula do Papa, estão com 31% da obra concluída. O terceiro e quarto trechos, da rótula da Icaraí até a rua Gabriel Camargo, têm 33% da obra pronta.
Além da retomada dos empreendimentos, o financiamento acordado permitirá o pagamento de dívidas. De acordo com a prefeitura, somente em dívidas com as empresas, os valores são da ordem de R$ 45,4 milhões.
Com reportagem de Isabella Sander
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Eduardo Silva de Oliveira 20/02/2018 11h58min
Entretanto, quanto à penúria do funcionalismo público municipal continua tudo a mesma nheca! Vade Retro Satanas!