Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, domingo, 04 de fevereiro de 2018.

Jornal do Comércio

Geral

COMENTAR | CORRIGIR

Segurança Pública

04/02/2018 - 11h25min. Alterada em 04/02 às 21h51min

Alunos soldados chamam a atenção nas ruas de Porto Alegre

Futuros brigadianos atuam em bairros e reforçaram o policiamento na procissão de Navegantes

Futuros brigadianos atuam em bairros e reforçaram o policiamento na procissão de Navegantes


LUIZA PRADO/JC
Paulo Egídio
Acostumados a se ressentir da falta de segurança pública, porto-alegrenses em diversas regiões da Capital se surpreenderam nos últimos dias pela multiplicação de brigadianos. Os soldados chamam a atenção ao andarem em duplas, vestindo o uniforme visivelmente novo, na cor cinza padrão da força e com as faixas largas horizontais amarelas que refletem a luminosidade. Ou seja, não tem como não perceber. 
O contingente que se distribui em pontos da atuação dos seis batalhões de Porto Alegre integra, na verdade, uma turma que faz a formação para soldado da Brigada Militar (BM). São 150 alunos soldados da Escola de Formação e Especialização de Soldados (EsFES) que estão atuando na Operação Avante Visibilidade, focada em ações de policiamento ostensivo. Os alunos atuam em grupos, desde o início de janeiro, e estão distribuídos em pontos específicos da cidade, segundo a BM.
A reportagem do Jornal do Comércio contabilizou pelo menos 10 duplas deles e uma viatura na quinta-feira (1º), posicionadas entre as ruas Quintino Bocaiúva, 24 de Outubro, Tobias da Silva, Padre Chagas, Dinarte Ribeiro, Praça Mauricio Cardoso e Félix da Cunha, miolo do bairro Moinhos de Vento. No bairro Azenha, frequentadores do comércio também identificaram o contingente.
Para quem acompanha o trabalho dos alunos soldados, os reflexos no cotidiano são positivos. “Certamente, a presença deles aumenta a circulação de pessoas nas ruas e, por consequência, nas lojas”, comemora a dona de uma loja de presentes situada na rua Padre Chagas, a empresária Vanessa Schuch. 
{'nm_midia_inter_thumb1':'http://jcrs.uol.com.br/_midias/jpg/2018/02/01/206x137/1_mq010218_policiamento04-1731301.jpg', 'id_midia_tipo':'2', 'id_tetag_galer':'', 'id_midia':'5a73859eee2b7', 'cd_midia':1731301, 'ds_midia_link': 'http://jcrs.uol.com.br/_midias/jpg/2018/02/01/mq010218_policiamento04-1731301.jpg', 'ds_midia': 'Patrulhamento dos soldados novos da Brigada Militar,  nas ruas do bairro Moinhos de Vento.   Na foto: Vanessa Schuch', 'ds_midia_credi': 'MARCO QUINTANA/JC', 'ds_midia_titlo': 'Patrulhamento dos soldados novos da Brigada Militar,  nas ruas do bairro Moinhos de Vento.   Na foto: Vanessa Schuch', 'cd_tetag': '1', 'cd_midia_w': '800', 'cd_midia_h': '533', 'align': 'Left'}
Vanessa diz que a presença dos soldados alunos aumento fluxo na loja. Foto: Marco Quintana/JC
Perto dali, o garçom Ismael Freitas, que trabalha em um estabelecimento da rua Olavo Barreto Viana, onde fica o Shopping Moinhos de Vento, também gostou de ver a presença dos futuros soldados. No entanto, segundo Freitas, o policiamento ostensivo não evitou assaltos. “Na quarta-feira (31), um cliente teve o carro furtado”, lamentou o garçom.
{'nm_midia_inter_thumb1':'http://jcrs.uol.com.br/_midias/jpg/2018/02/01/206x137/1_mq010218_policiamento14-1731303.jpg', 'id_midia_tipo':'2', 'id_tetag_galer':'', 'id_midia':'5a73859eee2b7', 'cd_midia':1731303, 'ds_midia_link': 'http://jcrs.uol.com.br/_midias/jpg/2018/02/01/mq010218_policiamento14-1731303.jpg', 'ds_midia': 'Patrulhamento dos soldados novos da Brigada Militar,  nas ruas do bairro Moinhos de Vento.   Na foto: Ismael Freitas', 'ds_midia_credi': 'MARCO QUINTANA/JC', 'ds_midia_titlo': 'Patrulhamento dos soldados novos da Brigada Militar,  nas ruas do bairro Moinhos de Vento.   Na foto: Ismael Freitas', 'cd_tetag': '1', 'cd_midia_w': '800', 'cd_midia_h': '533', 'align': 'Left'}
Garçom aprovou a força na rua, mas lamentou que não evitou assalto. Foto: Marco Quintana/JC 
A reação de moradores, empresários e quem trabalha nos bairros diante da presença dos futuros brigadianos contrasta com os resultados da primeira pesquisa de vitimização de moradores da Capital, divulgada justamente na quinta-feira. O estudo apontou que um terço das pessoas sofre de ansiedade em relação à violência ou já experimentou pânico ao imaginar que um familiar poderia ser vítima de um crime
Além de levar os policiais às ruas, a operação posiciona os futuros soldados em pontos estratégicos, proporcionando aos moradores e transeuntes da área a tão desejada "sensação de segurança". Ainda em fase de aprendizagem, os novos brigadianos exercem as atividades normais de policiamento e manutenção da ordem pública. 
“Os alunos atuam onde há a necessidade de maior policiamento ostensivo, sempre com o foco na visibilidade e repressão qualificada à criminalidade, aumentando sobremaneira a sensação de segurança da comunidade”, diz a capitã Isabele Moritz Evers, da Seção de Operação e Treinamento do Comando de Policiamento da Capital (CPC).
Além do Moinhos de Vento, os soldados em formação foram deslocados também na última quinta-feira para a área da Estação Rodoviária, no Centro Histórico de Porto Alegre. Na sexta-feira (2), o efetivo apoiou a segurança na procissão de Nossa Senhora dos Navegantes, que levou milhares de fiéis às ruas e avenidas entre o Centro e o bairro onde fica o santuário. “A operação acontece nos seis batalhões (1º, 9º, 11º, 19º, 20º e 21º), de acordo com a demanda”, explica a capitã.

Novos brigadianos devem ir às ruas definitivamente em abril

Futuros soldados voltam para a escola para terminar a formação na BM

Futuros soldados voltam para a escola para terminar a formação na BM


LUIZA PRADO/JC
Mesmo bem avaliada pela comunidade, a Operação Avante Visibilidade já tem data para chegar ao fim. A partir do dia 20, os alunos soldados retornarão para a escola de formação, onde ainda devem cumprir 200 horas-aula – que envolvem uma segunda fase de estágio operacional aos fins de semana.
De acordo com a BM, a formatura da turma deve ser em abril, o que não significa que os futuros brigadianos voltarão às ruas de Porto Alegre. O comando geral da corporação determinará onde os novatos vão atuar - se Capital ou Interior.
Além de Porto Alegre, os soldados em formação atuam também nas cidades de Guaíba, Montenegro e Santa Maria. Ao todo, 500 integram a operação Avante Visibilidade e devem ser incorporados à força de segurança nas ruas do Rio Grande do Sul a partir de abril, após a formatura. Enquanto faz a formação desse grupo, a BM realiza concurso para mais vagas, mas que ainda não tem prazo de começo da escola. Estas ações integram medidas anunciadas em 2017 pela Secretaria Estadual de Segurança Pública. 
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia