Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quarta-feira, 28 de fevereiro de 2018.

Jornal do Comércio

Economia

CORRIGIR

Comércio Exterior

Alterada em 28/02 às 12h57min

China contesta decisão dos EUA sobre produtos com folhas de alumínio

O Ministério do Comércio da China afirmou nesta quarta-feira (28) que discorda fortemente da decisão dos Estados Unidos de que Pequim subsidiou irregularmente produtos feitos a partir de folhas de alumínio.
Os EUA desrespeitaram regras da Organização Mundial de Comércio (OMC) ao longo da investigação e prejudicaram seriamente os interesses de exportadoras chinesas, afirmou o Ministério do Comércio em comunicado. O governo chinês prometeu ainda adotar medidas para proteger seus direitos.
Os exportadores da China venderam folhas de alumínio nos EUA a preços entre 48,64% e 106,09% menores do que o valor justo, afirmou na terça-feira em nota o Departamento do Comércio americano. Segundo Washington, o governo chinês concedeu subsídios ilegais para seus produtores de folhas de alumínio de entre 17,17% e 80,97%. 
CORRIGIR
Seja o primeiro a comentar esta notícia