Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quarta-feira, 28 de fevereiro de 2018.

Jornal do Comércio

Economia

CORRIGIR

trabalho

28/02/2018 - 12h54min. Alterada em 28/02 às 13h08min

Renda domiciliar per capita do Brasil fica em R$ 1.268 em 2017, revela IBGE

No Rio Grande do Sul, valor acima da média é de R$ 1.635

No Rio Grande do Sul, valor acima da média é de R$ 1.635


JONATHAN HECKLER/JC
A renda domiciliar per capita nominal mensal ficou em R$ 1.268,00 no País em 2017, segundo cálculos com base nas informações da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (Pnad Contínua), divulgados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) nesta quarta-feira (28). Em 2016, a renda domiciliar per capita tinha sido de R$ 1.226,00.
As informações são enviadas pelo instituto ao Tribunal de Contas da União (TCU), como forma de atender à Lei Complementar 143/2013, que estabelece os critérios de rateio do Fundo de Participação dos Estados e do Distrito Federal (FPE).
A renda domiciliar per capita mais alta foi registrada no Distrito Federal (R$ 2.548), seguido de São Paulo (R$ 1.712) e Rio Grande do Sul (R$ 1.635). A mais baixa registrada foi em Maranhão (R$ 597). No Rio de Janeiro, o rendimento ficou em R$ 1.445, e em Minas Gerais, em R$ 1.224.
Os rendimentos domiciliares são obtidos pela soma dos rendimentos do trabalho e de outras fontes recebidos por cada morador no mês de referência da pesquisa, explicou o IBGE. O rendimento domiciliar per capita é a divisão dos rendimentos domiciliares pelo total dos moradores.
CORRIGIR
Seja o primeiro a comentar esta notícia