Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, segunda-feira, 26 de fevereiro de 2018.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

Petróleo

26/02/2018 - 14h13min. Alterada em 26/02 às 14h15min

Petrobras reporta 'problema operacional' na refinaria de Pasadena

A companhia brasileira acrescentou que as emissões começaram na sexta-feira

A companhia brasileira acrescentou que as emissões começaram na sexta-feira


RICHARD CARSON/DIVULGAÇÃO/JC
A Petrobras reportou um "problema operacional" e a queima de gases em sua refinaria de Pasadena, no Texas, nos Estados Unidos, que está à venda. "Uma mudança nas condições operacionais em uma das unidades da refinaria resultou em problemas e queima de gases na unidade de refino (downstream)", afirmou ela em comunicado à Comissão de Qualidade Ambiental do Texas.
A companhia brasileira acrescentou que as emissões começaram na sexta-feira e duraram mais de 14 horas. "O pessoal na operação conteve o abastecimento para as unidades e operou equipamentos de controle de emissões para minimizar as emissões até que as operações na unidade foram restauradas", relatou a refinaria, que produz 106 mil barris por dia na área de Houston. 
Estopim da Operação Lava Jato, da Polícia Federal, a refinaria foi colocada à venda pela Petrobras em 6 de fevereiro. Em comunicado ao mercado financeiro, a estatal informou ter iniciado a etapa de divulgação da oportunidade, com a publicação do teaser relativo ao ativo. A operação é conduzida pela afiliada da estatal Petrobras America Inc (PAI). O prazo para interessados demonstrarem interesse vencia justamente na sexta-feira (23).
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia