Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, sexta-feira, 23 de fevereiro de 2018.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

Aviação

Notícia da edição impressa de 23/02/2018. Alterada em 23/02 às 14h17min

Gol vai cobrar para reservar assentos nos voos

Companhia anunciou modificações no sistema de tarifas de passagens

Companhia anunciou modificações no sistema de tarifas de passagens


/MARCELO G. RIBEIRO/JC
A Gol passará a cobrar uma taxa para o consumidor que deseja reservar assento comum (sem espaço extra) no momento da compra da passagem. O valor da taxa é de R$ 10,00 para quem compra na tarifa Light e R$ 20,00 para quem escolhe a tarifa Promo.
A marcação do lugar para essas as modalidades segue gratuita no período de sete dias anterior ao voo. Outra mudança é a cobrança de uma taxa de R$ 50,00 para antecipar o voo no mesmo dia pela tarifa Light. Quem comprar pela tarifa Promo não poderá antecipar o voo no mesmo dia.
As modificações foram anunciadas nesta quinta-feira. A tarifa Promo foi criada e, segundo a Gol, pode ter desconto de até 30% em relação à tarifa Light, que era a mais baixa e responsável por 65% da venda de bilhetes.
O vice-presidente de vendas e marketing da Gol, Eduardo Bernardes, afirmou que o objetivo da empresa é dar "total controle" para o consumidor comprar o bilhete aéreo. Clientes dos programas de fidelidade da empresa têm descontos ou isenção das taxas, dependendo do tipo de fidelização.
Além das tarifas Promo e Light, a Gol tem também as opções Plus e Max. Para voos internacionais há ainda a classe Premium.
O Departamento de Proteção e Defesa do Consumidor (DPDC), do Ministério da Justiça, notificou a Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) para que se manifeste sobre a cobrança anunciada pela Gol. "Estamos esperando a Anac se manifestar para decidirmos se notificaremos ou não a empresa. Até agora, o que nos parece é que falta informação clara e ostensiva ao consumidor sobre a nova cobrança", ressalta a diretora do DPDC, Ana Carolina Caram.
Para a diretora, causa estranhamento que a empresa faça a cobrança pela marcação de assento para quem o faça com antecedência, enquanto o mesmo procedimento feito durante o check-in continuará a ser gratuito.
 
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia