Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, sexta-feira, 23 de fevereiro de 2018.

Jornal do Comércio

Economia

CORRIGIR

Mercado Editorial

22/02/2018 - 10h19min. Alterada em 23/02 às 14h45min

Vendas de livros no Brasil inicia 2018 com crescimento

Pesquisa mostrou um crescimento de 14% no faturamento do mercado editorial

Pesquisa mostrou um crescimento de 14% no faturamento do mercado editorial


CLAITON DORNELLES /JC
O primeiro Painel das Vendas de Livros no Brasil de 2018 trouxe números positivos para o varejo do mercado editorial: a pesquisa mostrou um crescimento de 14% no faturamento em relação ao mesmo período de 2017. As vendas em volume cresceram 4,19%.
Segundo o Sindicato Nacional dos Editores de Livros (SNEL), que elabora o relatório em parceria com a Nielsen, os números refletem o período de volta às aulas, uma combinação de produtos com preços médios mais altos e menos promoções (livros didáticos). A queda do desconto médio em relação ao primeiro mês de 2017 foi de 2,8 pontos porcentuais.
Em um comunicado, o líder da Nielsen Bookscan Brasil, Ismael Borges, disse que "no início do ano é sempre importante lembrar do efeito da campanha de volta às aulas, mas é notável que começamos 2018 com uma base de crescimento melhor do que a verificada no ano anterior, favorecida pelo cenário macroeconômico".
O Painel das Vendas de Livros no Brasil é divulgado a cada quatro semanas. Os dados são coletados diretamente do "caixa" das livrarias, e-commerce e outros varejistas colaboradores.
Em janeiro, o Painel apontou crescimento de 6,15% em faturamento em 2017 em relação ao ano anterior, cerca de R$ 100 milhões. No volume, o crescimento foi de 4,55% (1,8 milhão de exemplares). Esse foi o primeiro resultado anual positivo e acima da inflação do mercado editorial brasileiro, no varejo, desde 2013, quando se iniciou a série histórica.
CORRIGIR
Seja o primeiro a comentar esta notícia