Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quarta-feira, 14 de fevereiro de 2018.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

Estados Unidos

Notícia da edição impressa de 14/02/2018. Alterada em 13/02 às 21h59min

Trump considera tarifas à importação de aço e alumínio

O presidente norte-americano, Donald Trump, afirmou ontem que considera uma série de opções envolvendo as importações de alumínio e aço, incluindo a imposição de tarifas ou de cotas. O objetivo seria prevenir "dumping" de países, que estaria "penalizando" os produtores norte-americanos.
Dumping é a venda de bens a um preço abaixo do seu justo valor, o que prejudica os concorrentes. Segundo especialistas, o alvo do governo norte-americano seria a China, acusada de criar excesso de capacidade de aço, o que derruba os preços globais do produto.
As declarações foram feitas durante um encontro com grupos bipartidários de senadores e deputados norte-americanos. Alguns deles apoiaram a imposição de restrições, enquanto outros advertiram para o impacto sobre os produtores norte-americanos.
No ano passado, os produtos semifaturados de ferro ou aço foram o quarto maior item das exportações brasileiras aos EUA, somando US$ 1,84 bilhão. Em novembro de 2016, o Brasil entrou com pedido na OMC (Organização Mundial do Comércio) de consultas aos EUA, questionando as sobretaxas norte-americanas aplicadas a exportações brasileiras de aços planos. Em março de 2016, o governo dos EUA havia concluído que várias empresas violaram regras antidumping no mercado de aços planos e decidiu impor tarifas contra produtos de vários países, incluindo os do Brasil. Os EUA alegavam subsídios ilegais concedidos pelo Brasil ao setor siderúrgico. 
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia