Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quarta-feira, 14 de fevereiro de 2018.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

Conjuntura Internacional

Notícia da edição impressa de 14/02/2018. Alterada em 13/02 às 21h59min

Elevações de juros nos EUA devem ter ritmo igual ao de 2017

O Federal Reserve (Fed, o banco central norte-americano) deve conduzir novos apertos monetários neste ano para acompanhar a perspectiva sólida para a economia, afirmou ontem a presidente do escritório de Cleveland da instituição, Loretta Mester. "Se as condições econômicas evoluírem conforme o esperado, precisaremos de novas altas de juros neste e no próximo ano, em ritmo similar ao visto no ano passado", afirmou a dirigente. "Esta abordagem gradual é a melhor estratégia para sustentar a expansão e equilibrar os riscos de nosso mandado duplo", acrescentou.
Mester é membro votante do Comitê Central de Mercado Aberto (Fomc) neste ano. O Fed elevou os juros três vezes em 2017, e indicou que deve fazer o mesmo neste ano. Em comentários recentes, a dirigente expressou que concorda com a perspectiva, mas que gostaria de acelerar o ritmo de altas.
Para a dirigente, o ritmo gradual de altas permite ao Fed responder a desenvolvimentos inesperados e mitigar as chances de que o mercado de ativos se desestabilize. Ela também se mostrou tranquila em relação às idas e vindas do mercado financeiro nos últimos dias. "A negociação continua como esperado, e não houve retração de crédito", afirmou.
 
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia