Porto Alegre, segunda-feira, 16 de março de 2020.

Jornal do Comércio

Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

CORRIGIR

Construção Civil

05/02/2018 - 20h05min. Alterada em 05/02 às 20h05min

Lucro líquido da Duratex cresce 235,7% no 4º trimestre

A Duratex - fabricante de painéis de madeira, pisos, louças e metais sanitários - teve lucro líquido de R$ 84,618 milhões no quarto trimestre de 2017, elevação de 235,7% frente ao mesmo período de 2016. No acumulado do ano, o lucro alcançou R$ 185,015 milhões, avanço de 605,4%.
A Duratex - fabricante de painéis de madeira, pisos, louças e metais sanitários - teve lucro líquido de R$ 84,618 milhões no quarto trimestre de 2017, elevação de 235,7% frente ao mesmo período de 2016. No acumulado do ano, o lucro alcançou R$ 185,015 milhões, avanço de 605,4%.
A evolução do lucro reflete a economia de custos e despesas, os aumentos de preços das mercadorias implementados ao longo do ano e um resultado financeiro mais favorável em virtude da queda da taxa de juros e da redução da dívida financeira.
Por sua vez, o lucro líquido recorrente da Duratex foi de R$ 112,936 milhões no quarto trimestre, um salto de 1.647,4%. Em todo o ano, atingiu R$ 180,668 milhões, revertendo prejuízo acumulado no ano anterior.
O lucro recorrente desconsidera efeitos extraordinários. No trimestre, a companhia foi beneficiada em R$ 5,2 milhões pela venda de terras, mas acabou prejudicada em R$ 33,5 milhões por uma provisão para perda na recuperação de ativos, relacionada a ativos que não englobam mais os planos estratégicos.
A Duratex reportou ainda Ebitda (lucro antes dos juros, impostos, depreciação e amortização) de R$ 279,879 milhões de outubro a dezembro, queda de 3,3%. No ano, o Ebitda chegou a R$ 986,788 milhões, alta de 9,5%.
A receita líquida consolidada somou R$ 1,102 bilhão no último trimestre de 2017, crescimento de 7,2%, e totalizou R$ 3,990 bilhões no ano, avanço de 2,1%.
O resultado financeiro líquido foi negativo em R$ 54,2 milhões no quarto trimestre, um recuo de 31,1%. No ano, foi negativo em R$ 206,113 milhões, baixa também de 31,1%.