Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quinta-feira, 22 de fevereiro de 2018.

Jornal do Comércio

Cultura

COMENTAR | CORRIGIR

Acontece

Notícia da edição impressa de 23/02/2018. Alterada em 22/02 às 19h58min

Romance A livraria ganha nova edição pela Bertrand Brasil

Com fôlego pelos prêmios obtidos da adaptação cinematográfica, a editora Bertrand Brasil lançou uma nova edição de A livraria (160 págs., R$ 32,90). Com estreia neste ano no País, o longa-metragem, dirigido pela espanhola Isabel Coixet, recentemente ganhou o prêmio Goya de melhor filme, direção e roteiro adaptado.
A obra tem autoria de Penelope Fitzgerald (1916-2000), que foi uma das mais célebres romancistas, poetas, ensaístas e biógrafas da Inglaterra do século XX. Ganhou o Booker Prize em 1979 com Offshore. Em 1999, ganhou o Golden Pen Award. Esta nova versão da Bertrand tem tradução de Sonia Coutinho.
Na história do romance, em uma cidadezinha do interior da Inglaterra, no final dos anos 1950, uma viúva de meia-idade decide abrir uma livraria. O que a protagonista não esperava é que sua aparentemente simples iniciativa provocaria um enorme rebuliço na pequena Hardborough. Lançado pela primeira vez na década de 1970, A livraria volta às prateleiras com apresentação assinada por David Nicholls, autor de Um dia. No texto, ele esmiúça trechos do romance, além de falar sobre a carreira da autora e de contar sua experiência como livreiro na época em que dividia seu tempo entre a livraria e os palcos de teatro em Londres, onde atuava. 
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia