Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quarta-feira, 14 de fevereiro de 2018.

Jornal do Comércio

Colunas

COMENTAR | CORRIGIR
Affonso Ritter

Observador

Notícia da edição impressa de 15/02/2018. Alterada em 14/02 às 22h03min

Venda de terras a estrangeiros 1

Luiz Guimarães, interino
Os termos de um projeto de lei que alteram regras do setor elétrico reabrem a discussão sobre a aquisição de terras por estrangeiros. A ideia é retirar restrições para permitir investimentos do capital externo nos setores de geração, distribuição e transmissão de energia. Caso o texto seja aprovado, outros setores poderão requerer inclusão - mas isto não é certo -, caso da celulose. A Celulose Riograndense, com sede em Guaíba, tenta há anos demover a União da restrição à aquisição de terras por estrangeiros, para que possa levar adiante novos investimentos no Rio Grande do Sul.
Venda de terras a estrangeiros 2
As regras ficaram mais rígidas a partir de 2010, quando a Advocacia-Geral da União (AGU) endureceu as exigências à posse de área por não brasileiros. O texto da minuta, no entanto, não toca em outro gargalo, a liberação de terras em áreas a 150 quilômetros de fronteira, onde a legislação é ainda mais restritiva, sob o argumento de segurança nacional. Também nesse caso, a Celulose Riograndense fica impedida de avançar em seus planos de expansão. É justamente nas regiões de fronteira, onde o preço da terra é mais barato, que estão as oportunidades para formação de florestas de eucalipto, matéria-prima à produção de celulose. De qualquer forma, já que o tema voltou à pauta, cabe ao governo gaúcho retomar o debate com a União agir em defesa do Estado.
Fimec falará de moda em fórum
Os profissionais da moda tem encontro marcado no dia 6 de março. Em paralelo com a 42ª edição da Fimec (Feira Internacional de Couros, Produtos Químicos, Componentes, Máquinas e Equipamentos para Calçados e Curtumes), acontecerá pela primeira vez o Fórum Fimec: Moda e Negócios. O evento será realizado em dois dias, 6 e 7 de março, das 9h às 12h, e no primeiro dia terá a moda como assunto central. No palco, um nome conhecido dos profissionais do setor, Alexandre Herchcovitch. Além dele, duas outras profissionais falarão sobre moda, a fashion designer e trendforcaster, Luana Lanzini, e a fashion directions, Luana Savadintzky.
Venda de material escolar
Levantamento realizado pelo Sindilojas Porto Alegre com papelarias e livrarias sobre a venda de material escolar revela que o comércio varejista espera um aumento nas vendas em torno de 6% em relação ao mesmo período do ano passado. De acordo com 68% dos entrevistados, os preços dos produtos irão se manter em comparação a 2017. O gasto médio por cliente com o material escolar será de R$ 255,00 sendo que 75% dos entrevistados esperam compras que girem entre R$ 100,00 e R$ 350,00.
Homenagem à ACPA
O período especial de comunicações de hoje na Câmara Municipal, irá homenagear os 160 anos da Associação Comercial de Porto Alegre (ACPA) que ocorreu na terça-feira passada. A sessão foi proposta pelo vereador Adeli Sell, que destaca que a história da associação comercial se confunde com a da cidade e de outras importantes instituições. "A associação e o Theatro São Pedro nasceram no mesmo ano (1858) e juntos se desenvolveram como instituições, ajudando Porto Alegre a crescer e aparecer para todo o Estado", lembrou o vereador.
Estágio no Hospital São Lucas
O Hospital São Lucas da Pucrs recebe, até o dia 18 de fevereiro, inscrições para 150 vagas de estágio em diversos campos do conhecimento (Gestão e Negócios, Tecnologia da Informação e Saúde). Os estagiários irão atuar como facilitadores junto ao novo sistema operacional do HSL, em áreas como registros clínicos de atenção a pacientes, processos administrativos de rotina e capacitação de pessoas.
 
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia