Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, segunda-feira, 29 de janeiro de 2018.

Jornal do Comércio

Política

COMENTAR | CORRIGIR

Judiciário

Notícia da edição impressa de 30/01/2018. Alterada em 29/01 às 23h07min

Marcelo Bretas defende seu uso de auxílio-moradia

O juiz Marcelo Bretas, responsável pela Lava Jato no Rio de Janeiro, defendeu, ontem, o pagamento de auxílios-moradia a ele e à mulher, também juíza, apesar de o Conselho Nacional de Justiça (CNJ) proibir a remuneração a casais que morem sob o mesmo teto.
Segundo Bretas, "o direito em questão foi assegurado a cada magistrado individualmente" e, no seu caso, "foi concedido em processo judicial (público), com contraditório, proposto em face da União".
As declarações foram dadas após a Folha de S.Paulo publicar que a concessão do benefício a Bretas é alvo de questionamento na Ouvidoria da Justiça Federal.
Bretas já havia usado o Twitter para ironizar o recebimento do benefício. "Pois é, tenho esse 'estranho' hábito. Sempre que penso ter direito a algo eu vou à Justiça e peço", escreveu.
 
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia