Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quinta-feira, 25 de janeiro de 2018.

Jornal do Comércio

Política

COMENTAR | CORRIGIR

congresso nacional

Notícia da edição impressa de 26/01/2018. Alterada em 25/01 às 22h39min

Após incêndio, plenário da Câmara é liberado

Após perícia da Polícia Civil, foi desinterditado, no final da tarde de quinta-feira, o plenário da Câmara dos Deputados, onde houve um princípio de incêndio de manhã. Salão Verde e comitê de imprensa, que também foram isolados por serem áreas próximas ao local, já estavam liberados para circulação.
Por volta das 6h30min da manhã, um plantonista entrou no plenário e acendeu as luzes. Uma das lâmpadas superaqueceu e explodiu, destruindo o difusor acrílico. O material incandescente caiu sobre quatro poltronas, localizadas na área onde normalmente se sentam parlamentares de oposição ao governo Michel Temer (PMDB).
O incêndio foi controlado em poucos minutos e, como o plenário estava vazio, ninguém se feriu. Mais cedo, o Corpo de Bombeiros do Distrito Federal realizou a primeira perícia. Não há prazo para conclusão do laudo oficial da Polícia Civil.
O plenário da Câmara tem capacidade para 600 pessoas, e sua galeria pode receber até 200 convidados. Em dias de grande votações, a capacidade costuma ser extrapolada com a presença de convidados dos deputados no plenário. Desde a tragédia em 2013 na Boate Kiss, em Santa Maria, quando 242 jovens morreram, técnicos da Câmara fazem adequações ao plenário, incluindo novas rotas de fuga para emergências.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia