Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, terça-feira, 23 de janeiro de 2018.

Jornal do Comércio

Política

COMENTAR | CORRIGIR

Operação Lava Jato

Notícia da edição impressa de 24/01/2018. Alterada em 23/01 às 21h49min

Cerca de 400 pessoas participaram de protesto do Vem pra Rua no Rio

Cerca de 400 pessoas se reuniram, desde as 19h desta terça-feira, em um ato na Avenida Atlântica, em Copacabana (Zona Sul do Rio), para pedir a confirmação da condenação ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) pelo Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4), em Porto Alegre, e a prisão do petista. O julgamento pelo tribunal será realizado nesta quarta-feira.
O protesto foi promovido simultaneamente em várias cidades do País pelo Vem Pra Rua, uma das entidades que também realizaram atos pelo impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff (PT).
No Rio de Janeiro, o grupo se reuniu nas proximidades do Posto 5 com faixas e cartazes pedindo a prisão do ex-presidente. Em coro, muitos gritavam "Lula, ladrão, seu lugar é na prisão", enquanto pediam que os veículos que transitavam no sentido Leme buzinassem para apoiar o protesto.
O grupo, que foi observado pela Polícia Militar, tentou interditar, pelo menos três vezes, a Avenida Atlântica no sentido Leme, o que acabou ocorrendo às 18h55min. Camelôs vendiam caipirinhas, bandeiras e bonecos de Lula com roupa de presidiário (o Pixuleco), a R$ 10,00.
Às 18h45min, lideranças do Movimento Brasil Livre iniciaram discurso em cima de um carro de som estacionado na orla, pedindo aplausos à Polícia Militar e sugerindo aos participantes que comprassem camisetas para colaborar com a entidade. A partir das 20h, começaram uma carreata.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia