Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, sexta-feira, 19 de janeiro de 2018.

Jornal do Comércio

Política

COMENTAR | CORRIGIR

Operação Lava Jato

19/01/2018 - 13h34min. Alterada em 19/01 às 17h57min

Acampamento de apoiadores de Lula em Porto Alegre será no Anfiteatro Pôr-do-Sol

Anfiteatro fica a dois quilômetros da sede do TRF-4 e será palco de vigília na véspera do julgamento

Anfiteatro fica a dois quilômetros da sede do TRF-4 e será palco de vigília na véspera do julgamento


CLAITON DORNELLES/JC
O ponto de concentração dos apoiadores do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) durante os dias que antecedem o julgamento de sua apelação criminal no Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4), em Porto Alegre, já foi definido: o Anfiteatro Pôr-do-Sol, no bairro Praia de Belas, sediará o “acampamento da resistência”, montado pela Frente Brasil Popular.
O local fica a dois quilômetros da sede do TRF-4 e, além de abrigar os militantes pró-Lula, será palco de uma vigília e de apresentações culturais na noite da terça-feira (23), véspera do julgamento. O local da manifestação na quarta-feira (24), dia da sessão, ainda não foi definido.
Em documento - assinado pelo MPF, representantes de movimentos sociais, Governo do Estado e Município de Porto Alegre –, também fica estabelecida a limitação do tráfego de veículos na avenida Evaldo de Pereira Paiva entre a Rótula das Cuias e o Estádio Beira Rio, permitindo-se acesso de ônibus e caminhões para estacionamento aos movimentos sociais, embarque e desembarque de pessoas e carga e descarga de material, através da avenida Ipiranga até a rua Edvaldo Pereira Paiva. O acordo determina ainda que os  organizadores dos eventos se comprometem a não acampar no Parque Harmonia.
Ainda na segunda-feira (22), cerca de 10 mil integrantes de movimentos de esquerda caminharão até o acampamento. Eles se concentrarão em frente ao antigo posto fiscal da Receita Federal, na BR-116, nas proximidades da Ponte do Guaíba e partirão em marcha até o anfiteatro. O trajeto foi acertado com a Secretaria da Segurança Pública do Rio Grande do Sul e contará com a presença do coordenador nacional do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST), João Pedro Stédile. Com informações da Folhapress.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia