Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quarta-feira, 17 de janeiro de 2018.

Jornal do Comércio

Política

CORRIGIR

Eleições 2018

17/01/2018 - 12h07min. Alterada em 17/01 às 12h10min

Pré-candidato do PSDB à Presidência, Alckmin cumpre agenda em Brasília

Tucano deve se encontrar com governadores do Distrito Federal e do Mato Grosso nesta quarta

Tucano deve se encontrar com governadores do Distrito Federal e do Mato Grosso nesta quarta


FREDY VIEIRA/JC
O governador de São Paulo e presidente do PSDB, Geraldo Alckmin, cumpre agendas em Brasília nesta quarta-feira (17). O tucano estava reunido por volta das 11h30 com integrantes da Executiva do partido na sede da sigla.
Há expectativa de que Alckmin se encontre, na parte da tarde, com os governadores do Distrito Federal, Rodrigo Rollemberg (PSB), e do Mato Grosso, Pedro Taques. A assessoria de imprensa do governador paulista ainda não confirmou essas agendas.
Alckmin é pré-candidato do PSDB à Presidência da República e irá disputar, em 4 de março, as prévias contra o prefeito de Manaus, Arthur Virgílio, que também almeja disputar as eleições presidenciais de 2018. Virgílio escreveu uma carta para Alckmin nesta quarta-feira alegando que não houve "nenhum movimento real" do partido para a realização das eleições internas.
Na convenção nacional do partido em dezembro, Alckmin foi eleito presidente da sigla e concordou na realização das prévias contra Virgílio. À época, já foi criada uma comissão para debater a disputa interna, mas o ex-governador Alberto Goldman, que estava presidindo interinamente a sigla antes de Alckmin, disse que realizar prévias era "tecnicamente inviável". Além do cadastro de filiados estar desatualizado, o partido não teria recursos suficientes.
CORRIGIR
Seja o primeiro a comentar esta notícia