Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, domingo, 14 de janeiro de 2018.

Jornal do Comércio

Política

COMENTAR | CORRIGIR

operação lava jato

Notícia da edição impressa de 15/01/2018. Alterada em 14/01 às 21h50min

Clima para dia do julgamento vai de medo a 'CarnaLula'

Ora um Carnaval, ora um campo de guerra. Ambas descrições usadas para resumir as expectativas de grupos à esquerda e à direita com o que os espera em Porto Alegre no dia 24 de janeiro, quando o ex-presidente Lula (PT) será julgado pelo Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4).
Entre os partidários do petista, o plano é mobilizar de 20 a 50 mil pessoas, com 500 ônibus vindos de todo o País, segundo o presidente do PT porto-alegrense, Rodrigo Dilelio. Os acampamentos que abrigarão lulistas começam a ser montados no próximo fim de semana, e o site Com Lula em POA oferece hospedagem, estilo Airbnb solidário, para quem ficar sem teto.
Já o Movimento Brasil Livre (MBL) espalhará, a partir do dia 20, outdoors dando "boas-vindas" àqueles que gostariam de ver Lula preso, segundo Kim Kataguiri, um dos líderes do grupo. Também está na programação o CarnaLula, no Parque Moinhos de Vento (Parcão), comemoração com La Banda Loka Liberal. "No horário do julgamento, vamos levar faixas de protesto, mas não vamos convocar manifestação pra evitar confusão."
 
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia