Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, segunda-feira, 08 de janeiro de 2018.

Jornal do Comércio

Política

CORRIGIR

Operação Lava Jato

08/01/2018 - 17h19min. Alterada em 08/01 às 17h20min

PT prepara série de atos antes do julgamento de Lula pelo TRF-4

Nesta segunda, militantes do PT e integrantes de movimentos colocaram faixa no TRF-4

Nesta segunda, militantes do PT e integrantes de movimentos colocaram faixa no TRF-4


Partido dos Trabalhadores/Divulgação/JC
O PT, em conjunto com a Frente Brasil Popular, deve realizar uma série de manifestações em Porto Alegre e em outras cidades do Brasil para se preparar para o julgamento em segunda instância do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva pelo Tribunal Federal da 4ª região (TRF-4), no próximo dia 24.
O pontapé inicial será dado neste sábado (13), com uma série de atos em todos os estados do Brasil. Eventos menores organizados por movimentos sociais como o MST e a CUT devem se seguir nos dias posteriores até o dia 23, véspera do julgamento, quando a capital gaúcha deve receber um dia inteiro de atividades.
Pela manhã, está previsto um ato de Mulheres em apoio a Lula, que se seguirá a um ato internacional em conjunto com uma atividade do Fórum Social Mundial. Depois, acontece uma passeata e uma vigília da militância que se estende ao dia 24, em frente ao prédio do TRF-4.
A presença do ex-presidente em Porto Alegre ainda não está confirmada. Os advogados de Lula pediram para que ele seja novamente ouvido durante o julgamento, mas os desembargadores ainda não se pronunciaram sobre a possibilidade. Outros dirigentes petistas, entre eles a presidente da sigla, Gleisi Hoffman, e a ex-presidente Dilma Rousseff, devem comparecer ao ato do dia 23.
Também confirmaram presença nas manifestações a pré-candidata do PCdoB à presidência, Manuela D'Ávila, e o líder do MTST, Guilherme Boulos, que tem convite do PSOL para concorrer ao Planalto pelo partido. Representantes de movimentos sociais internacionais também marcarão presença. A ex-presidente da Argentina Cristina Kirchner foi convidada para a atividade da véspera, mas sua presença ainda não foi confirmada.
No dia 24, além da vigília em frente ao TRF-4, estão programados novos atos públicos em outras cidades brasileiras. Em São Paulo, a manifestação deve acontecer na Avenida Paulista. Após o julgamento, os dirigentes devem se reunir novamente para decidir os próximos passos da mobilização. Um dos projetos já confirmados é o de uma nova caravana de Lula, desta vez pelos três Estados da região Sul. As datas e o itinerário, no entanto, ainda não estão fechados.
Lula foi condenado, em primeira instância, a 9 anos e 6 meses de prisão por corrupção passiva e lavagem de dinheiro, no caso do triplex do Guarujá. No dia 24, os três desembargadores do TRF-4 vão julgar a apelação apresentada pela defesa do petista. Caso a condenação seja confirmada, Lula pode ser considerado inelegível pela Lei da Ficha Limpa.
Para pressionar as autoridades do Judiciário, o PT convocou a militância para acampar em Porto Alegre às vésperas do julgamento. Sindicatos, movimentos sem terra e outras organizações sociais devem começar a chegar à capital do Rio Grande do Sul a partir do dia 20. Para ajudar a custear o transporte, o partido organizou uma campanha de crowdfunding na internet, que até o momento arrecadou cerca de R$ 80 mil.
CORRIGIR
Seja o primeiro a comentar esta notícia