Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quinta-feira, 04 de janeiro de 2018.

Jornal do Comércio

Política

COMENTAR | CORRIGIR

governo federal

04/01/2018 - 12h59min. Alterada em 04/01 às 14h29min

Ministro da Saúde vai deixar cargo até abril para tentar reeleição no Congresso

Saída de Barros é a quinta baixa recente do governo do Temer

Saída de Barros é a quinta baixa recente do governo do Temer


EVARISTO SÁ/AFP/JC
O ministro da Saúde, Ricardo Barros, atualmente licenciado do mandato de deputado federal (PP-PR), disse nesta quinta-feira (4) que deixa a pasta até abril para tentar a reeleição para o cargo no Congresso Nacional.
"Eu saio para disputar a eleição. Vou concorrer à reeleição de deputado federal. E fico no ministério até a data que o presidente me solicitar, desde que seja até 7 de abril, porque preciso descompatibilizar", explicou.
Com o afastamento de Barros, já são cinco os ministros a ser afastar do cargo, todos de olho no cenário eleitoral.
Ontem (3), o presidente nacional do PRB, Marcos Pereira, entregou à Presidência da República carta pedindo exoneração do cargo de ministro da Indústria, Comércio Exterior e Serviços, alegando questões pessoais e partidárias.
No final de dezembro, o deputado federal Ronaldo Nogueira (PTB-RS) também pediu exoneração do cargo de ministro do Trabalho para se dedicar à campanha eleitoral. Ele será substituído pela deputada federal Cristiane Brasil (PTB-RJ), cuja nomeação foi publicada nesta quinta-feira no Diário Oficial da União.
No final de 2017, o PSDB desembarcou do governo Temer. Entregaram os cargos os tucanos Bruno Araújo (PE), do Ministério das Cidades, e Antonio Imbassahy  (BA), da Secretaria de Governo.
Com reportagem da Agência Brasil.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia