Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, domingo, 28 de janeiro de 2018.

Jornal do Comércio

Internacional

COMENTAR | CORRIGIR

Colômbia

Notícia da edição impressa de 29/01/2018. Alterada em 28/01 às 23h09min

Ex-líder das Farc lança candidatura à presidência

Ex-guerrilheiro prometeu representar os interesses dos pobres

Ex-guerrilheiro prometeu representar os interesses dos pobres


/RAUL ARBOLEDA/AFP/JC
O ex-líder das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc), Rodrigo Londoño, já foi um dos homens mais procurados do país. Agora, ele é um candidato à presidência da República. Mais conhecido pelo apelido Timochenko, Londoño lançou sua candidatura no sábado para assumir o governo que chegou a combater na selva. O início da campanha incluiu cartazes gigantes, confetes e até mesmo um jingle.
"Estou empenhado em liderar esse governo de transição para criar as condições para o nascimento de uma nova Colômbia, um governo que finalmente representará os interesses dos pobres", disse ele. Rompendo com a tradição de iniciar campanhas em hotéis de luxo de Bogotá, Timochenko lançou sua candidatura em um dos bairros mais pobres e mais perigosos da cidade. Centenas de pessoas se reuniram no estacionamento de um centro comunitário para celebrar o momento histórico.
"Presidente, vamos para o povo", diz a nova música de sua candidatura. A campanha é outro passo para transformar as Farc em um partido político, após a assinatura de um acordo de paz com o governo, em 2016, que acabou com um conflito de mais de meio século. O grupo rebelde mais importante do país é, agora, conhecido como a Força Alternativa Revolucionária da Comunidade, que mantém a sigla Farc e apresenta uma lista de ex-guerrilheiros como candidatos.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia