Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, sexta-feira, 02 de fevereiro de 2018.

Jornal do Comércio

Geral

COMENTAR | CORRIGIR

transportes

31/01/2018 - 15h35min. Alterada em 31/01 às 18h37min

Para Sindimetrô/RS, aumento de 94% na passagem do Trensurb está 'fora da realidade'

Para sindicato, alta do valor da passagem não condiz com a qualidade do serviço oferecido

Para sindicato, alta do valor da passagem não condiz com a qualidade do serviço oferecido


MAURO SCHAEFER/ARQUIVO/JC
O Sindicato dos Metroviários (Sindimetrô/RS) comentou, por meio de nota divulgada nesta quarta-feira (31), o aumento de 94% no valor da tarifa do trem metropolitano, o Trensurb, cuja passagem passará dos atuais R$ 1,70 para R$ 3,30 a partir deste sábado (3).
No texto, o sindicato diz considerar a alta "um absurdo", destacando que a inflação no período foi de 75%. A passagem estava congelada no valor atual desde 5 de janeiro de 2008. Segundo o IBGE, a inflação oficial do IPCA de fevereiro de 2008 a dezembro de 2017 - o índice de janeiro deste ano ainda não foi fechado-, ficou em 79,02. "O índice está totalmente fora da realidade vivida pelos trabalhadores e estudantes que utilizam esse meio de transporte diariamente", afirma o texto.
O Sindimetrô/RS ainda classifica o aumento como abusivo, por não levar em consideração "a grave crise de emprego enfrentada pelo país". "O preço acessível praticado pela Trensurb era um dos poucos serviços em que o trabalhador recebia o retorno do seu imposto", afirma a entidade.
Segundo o sindicato, o aumento também não condiz com a qualidade do serviço oferecido, uma vez que apenas quatro dos 15 trens novos estão em circulação, e faria parte da tentativa do governo de Michel Temer (PMDB) "de entregar a empresa para a iniciativa privada".
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Celso Pereira dos Santos 01/02/2018 22h33min
O Sindicato sabe q o custo operacional da Trensurb é de 5 reais por usuário? O Sindicato sabe q este custo deve-se a incompetência administrativa dos gestores da empresa?nO Sindicato deveria pedir uma auditoria externa para descobrir onde está o rombo. Se precisar eu explico timtim por timtim.