Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quinta-feira, 01 de fevereiro de 2018.

Jornal do Comércio

Geral

COMENTAR | CORRIGIR

Transportes

Notícia da edição impressa de 01/02/2018. Alterada em 01/02 às 17h52min

Passe do Trensurb dobra de valor no sábado

Reajuste vai quase dobrar valor da passagem para quem usa o Trensurb na RMPA

Reajuste vai quase dobrar valor da passagem para quem usa o Trensurb na RMPA


CLAITON DORNELLES /JC
Quem se locomove de trem na Região Metropolitana sentirá no bolso a partir deste sábado. Isso porque o governo federal autorizou a Trensurb a aumentar o preço da passagem para R$ 3,30. A empresa alega que o valor atual, de R$ 1,70, não tem reajuste desde 5 de janeiro de 2008.
O Sindicato dos Trabalhadores em Empresas de Transportes Metroviários e Conexas do Rio Grande do Sul (Sindimetrô-RS) emitiu, em nota, opinião contrária ao aumento. "Nada justifica, na atual conjuntura, um absurdo aumento de 94% no valor da tarifa do trem metropolitano, quando a inflação no período foi de 75%. O índice está totalmente fora da realidade vivida pelos trabalhadores e estudantes que utilizam esse meio de transporte diariamente", afirma o texto. Para protestar contra o reajuste, o Sindimetrô convocou uma manifestação para esta quinta-feira, a partir das 17h, na Estação Mercado da Trensurb.
Segundo a empresa, as despesas cresceram em função da expansão do sistema até Novo Hamburgo, agregando cinco novas estações e 9,3 quilômetros de linha. Ao mesmo tempo, todos os custos de operação e de manutenção aumentaram - particularmente, os gastos com a energia elétrica de tração dos trens, que subiram mais de 100% de 2007 a 2017. 
A Trensurb afirma ter "chegado ao limite" e que, "para que não se deixe de oferecer o melhor serviço possível aos usuários do metrô, o reajuste se faz necessário". A empresa ainda diz oferecer a tarifa mais baixa entre os meios de transporte metropolitanos, e a alternativa mais barata e eficiente para se transitar entre os municípios de Porto Alegre, Canoas, Esteio, Sapucaia, São Leopoldo e Novo Hamburgo.
O Sindimetrô argumenta, no entanto, que o serviço oferecido está cada vez mais precarizado e que apenas quatro dos 15 trens novos estão em circulação. Além disso, os banheiros públicos da ampla maioria das estações estariam fechados por falta de manutenção. 
De acordo com a Trensurb, o cronograma de entrega dos trens série 200, proposto pelo Consórcio FrotaPoa, previa a conclusão dos reparos até outubro de 2016, mas foi desrespeitado. A direção, além de manter a suspensão dos pagamentos do contrato, determinou a aplicação de multa contratual. A empresa confirma que só quatro trens estão circulando, pois foi constatado um problema de infiltração de água em caixas de rolamento. A Trensurb segue cobrando uma resposta da FrotaPoa.
Quanto aos banheiros, a empresa afirma que alguns foram interditados por problemas hidráulicos e de vandalismo. Como o contrato de manutenção predial das estações entre Mercado e São Leopoldo chegou ao fim, e a nova contratação está na fase de trâmites internos que precedem a publicação do edital de licitação, os reparos necessários estavam sendo feitos com equipe própria, de forma reduzida e apenas em casos mais simples e urgentes. A Trensurb confirmou que os banheiros das estações Sapucaia, Canoas e Mathias Velhos ainda estão interditados.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia