Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, domingo, 04 de fevereiro de 2018.

Jornal do Comércio

Geral

COMENTAR | CORRIGIR

Ensino Superior

03/02/2018 - 14h03min. Alterada em 04/02 às 17h07min

Apenas seis universidades gaúchas têm pós-graduações de excelência internacional

Ufrgs soma 36 cursos com notas entre 6 e 7, maiores conceitos na avaliação da Capes

Ufrgs soma 36 cursos com notas entre 6 e 7, maiores conceitos na avaliação da Capes


MARIANA CARLESSO/JC
Paulo Egídio
Apenas seis das 34 universidades gaúchas têm programas de pós-graduação considerados de excelência internacional. São programas de pós-graduações (PPGs) strictu sensu que receberam notas 6 e 7 na avaliação quadrienual de 2017 da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes), responsável pela distribuição de bolsas de estudo e investimentos na produção científica e ligada ao Ministério da Educação (MEC).
Em recente reportagem, o Jornal do Comércio informou que a mesma avaliação apontou que seis programas não atingiram nota suficiente, tiveram 0 a 2, e devem ser descredenciados. O mínimo para ficar aberto é 3. A escala de avaliação vai de 1 a 7 e determina a qualidade dos cursos oferecidos pelas Instituições de Ensino Superior (IES) que têm as modalidades.
A Universidade Federal do Rio Grande do Sul (Ufrgs), que soma 36 PPGs com notas superiores (20 nota 6 e 16 nota 7), lidera a elite de pesquisa acadêmica regional. Na sequência, vem a Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (Pucrs), com 11 programas (9 nota 6 e 2 nota 7), a Universidade Federal de Santa Maria (UFSM), com cinco (3 nota 6 e 2 nota 7), a Universidade Federal de Pelotas (Ufpel), com quatro (2 nota 6 e 2 nota 7), a Universidade do Vale do Rio dos Sinos (Unisinos), com quatro (3 nota 6 e 1 nota 7), e a Universidade Federal do Rio Grande (Furg), com três programas (2 nota 6 e 1 nota 7).
O Estado tem 24 programas com nota 7, e 39, 6, totalizando 63 pós-graduações de excelência. Frente à avaliação anterior, em 2013, houve um crescimento de 17%. Ante 2007, 10 anos atrás, quando o Rio Grande do Sul somava apenas 23 programas, o o avanço é de 174%. No mesmo período, o número total de programas saltou de 215 para 396.
De acordo com a última Avaliação Quadrienal, o Rio Grande do Sul é o quarto estado com a maior quantidade de cursos de pós-graduações strictu sensu, que envolvem mestrado acadêmico, mestrado profissional e doutorado. Já em relação à qualidade dos programas, o Estado é o terceiro com mais programas conceitos 6 e 7, que indicam excelência internacional.
Em números absolutos, São Paulo é, de longe, a unidade da federação com maior número de pós-graduações, com 894, seguido pelo Rio de Janeiro, com 478, e Minas Gerais, com 426. Os 396 programas gaúchos colocam o Estado na quarta posição. O Paraná completa o top 5 nacional com 326 modalidades.
No entanto, na avaliação de qualidade, as universidades gaúchas apresentam desempenho melhor do que as mineiras. O Estado é o terceiro com mais cursos considerados de excelência no ranking nacional, atrás apenas de São Paulo, com 171 programas notas 6 e 7, e o Rio de Janeiro, com 78. Neste quesito, Minas Gerais tem 56 PPGs, e o Paraná apenas 20, mesmo número da vizinha Santa Catarina.
Fonte: Capes/MEC

Critérios de Avaliação

De acordo com a Capes, as notas da Avaliação Quadrienal são definidas por consultores especializados das diversas áreas do conhecimento, atuantes no magistério superior e na pesquisa. São levados em conta fatores como a produção científica do corpo docente e discente, a estrutura curricular do curso e a infraestrutura de pesquisa da instituição. Os conceitos são assim identificados pela entidade:
  • Notas 1 e 2: programas insuficientes, que são descredenciados e têm canceladas as autorizações de funcionamento.
  • Nota 3: significa desempenho regular, atendendo ao padrão mínimo de qualidade.
  • Nota 4: o programa é considerado como tendo um bom desempenho.
  • Nota 5: corresponde à excelência em nível nacional e é o máximo que pode ser alcançado por programas com apenas com cursos de mestrado.
  • Nota 6: indica desempenho equivalente ao alto padrão internacional.
  • Nota 7: além de ser considerado de excelência internacional, o programa é destacado dos demais.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia