Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, terça-feira, 16 de janeiro de 2018.

Jornal do Comércio

Geral

COMENTAR | CORRIGIR

Direitos Animais

Notícia da edição impressa de 17/01/2018. Alterada em 16/01 às 22h07min

Cães e cavalos 'aposentados' poderão ser adotados

Utilizados pelos órgãos de segurança pública para detectar drogas, resgatar pessoas e conter tumultos, por exemplo, cães e cavalos agora podem ser adotados pelos servidores com quem sempre trabalharam. A legislação que regula o processo de adoção dos animais vinculados à Secretaria da Segurança Pública foi apresentada ontem, no Palácio Piratini.
A chamada Lei Nanquim (em homenagem ao cavalo que acompanhou por cinco anos a ex-policial militar Kelly Thimoteo), de autoria do deputado estadual Gabriel Souza (PMDB), foi sancionada pelo governador José Ivo Sartori na semana passada, junto com outros 17 projetos que integram um pacote de propostas e resoluções para melhorar a segurança no Estado. Segundo Souza, o principal objetivo é proteger os animais, afastando a possibilidade de que eles sejam usados em trabalhos forçados, pesquisa ou até abate.
"Quando chegarem ao fim das atividades nas corporações, cães e os cavalos poderão ser adotados por entidades de proteção animal, entidades sem fins lucrativos e pessoas físicas. O animal que tenha adotantes não irá mais a leilão. A preferência será dada ao policial que trabalhou com ele. Nos parece justo que esteja em boas mãos, porque sabemos que se cria um vínculo", afirma o deputado.
 
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia