Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, terça-feira, 30 de janeiro de 2018.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

E-commerce

30/01/2018 - 13h39min. Alterada em 30/01 às 13h39min

Mercado Livre terá linha de capital de giro para vendedores da plataforma

Mercado Crédito concederá financiamentos de R$ 5 mil a R$ 350 mil em capital de giro

Mercado Crédito concederá financiamentos de R$ 5 mil a R$ 350 mil em capital de giro


MERCADO LIVRE/DIVULGAÇÃO/JC
Folhapress
O site Mercado Livre anunciou nesta terça-feira (30) que vai entrar no mercado de concessão de crédito para capital de giro aos vendedores da plataforma, buscando suprir uma lacuna deixada pelos grandes bancos, que, durante a crise, limitaram os empréstimos para micro e pequenas empresas.
O piloto do projeto foi lançado há seis meses no Brasil. Inicialmente, serão concedidos de R$ 5.000 a R$ 350 mil em capital de giro, que poderão ser pagos em até 12 meses. Os empréstimos médios por usuário serão limitados a dois meses de vendas, em um valor médio calculado pela empresa em R$ 30 mil.
A taxa de juros começa em 2,25% ao mês e vai até 5,5%. A média é estimada em 3,1%. O crédito será oferecido em parceria com duas instituições, o Banco Topázio e a financeira Money Plus. O dinheiro será debitado automaticamente da conta do vendedor. A concessão inicialmente estará limitada a usuários com pelo menos seis meses de histórico mapeado no Mercado Livre.
O comportamento na plataforma, o volume de vendas e outras 400 variáveis serão usadas na avaliação de crédito do vendedor. Segundo Martín de Los Santos, vice-presidente sênior de Mercado Crédito na América Latina, não há preocupação de que o dinheiro seja usado como empréstimo pessoal, em vez de no negócio. A empresa também não restringirá crédito para usuários com nome sujo.
O objetivo é alcançar 400 mil usuários em um ano e meio, em Brasil, México e Argentina. A empresa pensa, no futuro, em oferecer empréstimo para compradores, em piloto que será lançado neste ano ainda. O Mercado Crédito foi lançado em maio de 2017 na Argentina e há dois meses no México.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia