Porto Alegre, segunda-feira, 16 de março de 2020.

Jornal do Comércio

Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

CORRIGIR

Mercado Financeiro

23/01/2018 - 19h11min. Alterada em 23/01 às 19h11min

Dólar fecha em alta com cautela antes do julgamento do recurso de Lula

O dólar manteve-se no terreno positivo frente ao real durante todo o dia, batendo as máximas na reta final do pregão, na medida em que se aproxima o julgamento do recurso do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva contra sua condenação. O câmbio doméstico foi na contramão do exterior, já que a moeda americana voltou a exibir desempenho fraco ante divisas fortes e a maioria das emergentes nesta terça-feira (23).
O dólar manteve-se no terreno positivo frente ao real durante todo o dia, batendo as máximas na reta final do pregão, na medida em que se aproxima o julgamento do recurso do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva contra sua condenação. O câmbio doméstico foi na contramão do exterior, já que a moeda americana voltou a exibir desempenho fraco ante divisas fortes e a maioria das emergentes nesta terça-feira (23).
O Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4) vai julgar, a partir das 8h30min desta quarta-feira (24), o recurso de Lula contra sua condenação em primeiro grau no caso que ficou conhecido como o do tríplex do Guarujá. Três desembargadores que integram a 8ª Turma do TRF-4, em Porto Alegre, serão responsáveis por analisar o processo que pode inviabilizar a candidatura do petista à Presidência da República.
"Alguns juristas e analistas políticos comentam que o julgamento de amanhã, mesmo que mantenha a condenação de Lula por unanimidade, não deve tirá-lo definitivamente da disputa eleitoral", afirmou Vitor Suzaki, analista da Lerosa Investimentos. "Isso porque Lula deve recorrer às instâncias superiores e uma decisão sobre a candidatura pode só sair às vésperas da eleição."
Peter Hakim, presidente emérito do Inter-American Dialogue, em Washington, disse que "somente em agosto ou setembro saberemos se o nome de Lula estará nas urnas de outubro". "Acredito que é muito incerto avaliar ainda se ele poderá concorrer, devido à continuidade das etapas judiciais que este processo terá por vários meses", acrescentou.
O dólar à vista fechou em alta de 0,84%, a R$ 3,2359. O volume foi de US$ 868 milhões. A moeda americana para fevereiro terminou a sessão com ganho de 1,06%, a R$ 3,2410. O giro foi de US$ 19,412 bilhões.