Porto Alegre, segunda-feira, 16 de março de 2020.

Jornal do Comércio

Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

CORRIGIR

mercado financeiro

22/01/2018 - 10h05min. Alterada em 22/01 às 10h05min

Dólar recua em linha com exterior em meio à paralisação do governo Trump

O dólar opera em queda ante o real. Segundo o diretor da corretora Correparti Jefferson Rugik, o mercado está precificando, por enquanto, a desvalorização da moeda norte-americana no exterior ante algumas divisas principais e ligadas a commodities, na esteira da paralisação parcial do governo norte-americano.
O dólar opera em queda ante o real. Segundo o diretor da corretora Correparti Jefferson Rugik, o mercado está precificando, por enquanto, a desvalorização da moeda norte-americana no exterior ante algumas divisas principais e ligadas a commodities, na esteira da paralisação parcial do governo norte-americano.
No fim da noite de domingo, senadores em Washington tentaram, mas não conseguiram chegar a um acordo e a expectativa agora é que votem uma proposta que financie o governo Trump até 8 de fevereiro, possivelmente às 15 horas (de Brasília).
No mercado local, os agentes financeiro iniciam a semana atentos ainda à movimentação política em torno do julgamento da apelação do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, pelo TRF-4, em Porto Alegre, na quarta-feira.
"O mercado está apostando na inelegibilidade de Lula, mas poderemos ter um movimento protecionista até quarta-feira, pois o mercado não gosta de ficar descasado diante de um evento de tamanha importância", diz Rugik.
Às 9h51min, o dólar à vista caía 0,48%, aos R$ 3,1856. O dólar futuro de fevereiro recuava 0,37%, aos R$ 3,190. Em Nova Iorque, o índice do dólar (DXY) caía 0,13%.
Ante divisas ligadas a commodities, a moeda americana recuava moderadamente ante o peso chileno, o dólar australiano, o dólar neozelandês e o rand sul africano, mas subia levemente frente o peso mexicano e a lira turca.